Gustavo Bebianno morre em circunstâncias suspeitas

Gustavo Bebianno, ex-ministro do presidente Jair Bolsonaro e pré-candidato a prefeito do Rio, morreu esta manhã após um infarto, aos 56 anos; ele relatava ameaças e deixou cartas. A informação é do presidente estadual do PSDB, Paulo Marinho.

Foto - reprodução
Segundo Marinho, por volta de 4h30 ele comunicou ao filho que estava passando mal e se dirigiu ao banheiro para ingerir um remédio. Minutos depois, sofreu uma queda e teve ferimentos na cabeça.
Bebianno estava em seu sítio em Teresópolis junto com um caseiro e seu filho. Ele foi levado para uma unidade hospitalar da cidade, mas não resistiu.

Primeiro ministro demitido

Bebianno foi o primeiro ministro a deixar o governo do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ), em fevereiro de 2019.  Sua demissão foi confirmada em meio a uma crise no governo que se originou com a suspeita de que o PSL, partido ao qual Bolsonaro e Bebianno eram filiados, teriam usado candidatura “laranja” nas eleições de 2018.

O jornal “Folha de S.Paulo” informou na época que, quando Bebianno presidia o PSL, o partido, repassou R$ 400 mil a uma candidata a deputada federal de Pernambuco. Segundo o jornal, o repasse foi feito quatro dias antes das eleições, e ela recebeu 274 votos.

Bebianno negou as irregularidades, afirmando que não foi o responsável por escolher as candidatas que receberam dinheiro do partido. Isso porque, segundo ele, a decisão coube aos diretórios locais.

Após a reportagem da “Folha”, Bebianno negou em entrevista ao jornal “O Globo” que fosse o pivô de uma crise dentro do governo e acrescentou que, somente naquele dia, havia falado com o presidente por três vezes. Na ocasião, Bolsonaro ainda estava internado em razão de uma cirurgia.

Após a publicação da entrevista, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) usou uma rede social para dizer que Bebianno mentiu ao dizer que havia falado com o presidente.

Carlos, e depois o próprio Bolsonaro, chegaram a divulgar um áudio no qual, segundo eles, o presidente diz a Bebianno que não podia falar com o então ministro.

Acusação de de sequestro de jornalista

Bebianno disse em dezembro ao programa 3 em 1, da Jovem Pan, que um aliado de Bolsonaro tentou sequestrar o colunista Lauro Jardim, do Globo, além de ameaçar uma jornalista da revista Época. O caso foi levado à cúpula da emissora e ao departamento jurídico.

Bolsonaro pretendia destruir Moro

“Bolsonaro tem medo de Moro e quer destruí-lo”, disse Gustavo Bebianno, morto na manhã deste domingo, em janeiro deste ano. Bastou o ministro da Justiça, Sérgio Moro, despontar em quarto lugar em pesquisas de intenção de voto e o presidente Jair Bolsonaro já anunciou que pensa em esvaziar o poder do auxiliar, retirando de sua pasta as atribuições sobre Segurança Pública, que passariam para um novo ministério.

Bebianno relatava ameaças e escreveu cartas para duas pessoas

Uma nota publicada neste sábado na coluna Radar informa que o ex-ministro Gustavo Bebianno escreveu cartas para duas pessoas, com as informações sobre tudo o que viu e viveu ao lado de Jair Bolsonaro. Nelas, ele também relata ameaças.

Material gravado fora do Brasil contra Jair Bolsonaro

 “Não tenho medo do Bolsonaro. Meu material está guardado fora do Brasil”, disse Bebianno sobre ameaças, ao ser questinado por Thays Oyama

Com informações do Brasil/247
___
Gustavo Bebianno morre em circunstâncias suspeitas Gustavo Bebianno morre em circunstâncias suspeitas Reviewed by DMM on sábado, março 14, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD