Neofascismo: Governo de Rondônia censura 42 livros e depois recua

Memorando da Secretaria de Educação do estado inclui livros como "Macunaíma", de Mário de Andrade, e "O Castelo", de Franz Kafka, além de obras de Caio Fernando Abreu, Carlos Heitor Cony e "todos os livros" de Rubem Fonseca. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, é filiado ao PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro

Reprodução - Facebook
O governo do estado de Rondônia divulgou nesta quinta-feira, 6, um documento para recolher de escolas públicas um total de 43 livros de autores consagrados, brasileiros e estrangeiros, por classifica-los como "conteúdo inadequado" para crianças e adolescentes.

O memorando da Secretaria de Educação do estado inclui livros como "Macunaíma", de Mário de Andrade, e "O Castelo", de Franz Kafka,  além de
livros de Caio Fernando Abreu, Carlos Heitor Cony, Euclides da Cunha, Ferreira Gullar, Nelson Rodrigues e Rubem Fonseca.

"Todos os livros do Rubem Alves devem ser recolhidos". Morto em 2014, Alves escrevia sobre educação e questionava o formato tradicional da escola.

Após questionamento, a Secretaria recuou e desistiu da medida de censura. O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, é filiado ao PSL, ex-partido do presidente Jair Bolsonaro. A expectativa é que Rocha acompanhe Bolsonaro em seu novo partido, o Aliança.
Com informações do Brasil/247
__
Neofascismo: Governo de Rondônia censura 42 livros e depois recua Neofascismo: Governo de Rondônia censura 42 livros e depois recua Reviewed by DMM on sexta-feira, fevereiro 07, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD