Lula, obrigado pela renascença brasileira – por Nezimar Borges

O jornalista e professor Nezimar Borges envia carta aberta ao preso político Luiz Inácio Lula da Silva, na qual agradece ao ex-presidente pelo que identifica como a "renascença brasileira"; para corroborar tal afirmação, ele mostra dados comparados com os de outros governos que evidentemente mostram diferença abissal de crescimento econômico, social e cultural do Brasil no período conhecido de lulopetismo, que durou até a sabotagem da classe dominante depois das eleições de 2014. Borges emenda:"Presidente Lula, embora seja um espirituoso pacifista e exímio conciliador de classes, o senhor plantou uma semente na mente das pessoas conscientizadas que jamais será esquecido enquanto houver luta de classes". Leia


Lula, obrigado pela renascença brasileira – por Nezimar Borges

Caro Presidente Lula,

Há inúmeras formas de agradecer-lhe pela vida dedicada ao Brasil; em uma delas, pôde traçar algumas considerações ao comparar sua trajetória de vida com a de outros estadistas que sofreram a mesma perseguição, pelos mesmos motivos exaustivamente nominados nos meios de comunicação progressistas.

Para abarcar esses argumentos, busquei a história para situá-lo como o protagonista que conduziu o Brasil a uma nova rinascita jamais vista no histórico do vilipendiado povo brasileiro. Aqui me refiro, Presidente, à “renascença brasileira”, período de pouco mais de uma década, de 2003 a 2014, coroada neste último ano com a menor taxa do índice de desemprego da história, 4,3%.

Lula, considero que a inédita renascença brasileira começou a dar sinais de morte prematura após as eleições de 2014; quando o candidato derrotado da classe dominante, patrocinado pela elite do país e temendo a volta do senhor, iniciou inexorável campanha de desestabilização política do Brasil; a partir da posse de Dilma Rousseff em janeiro de 2015, o processo de boicote degringolou até o golpe jurídico-midiático-parlamentar de abril de 2016, quinze meses, portanto, depois da posse ela não governou de fato.

Lembremos o conluio entre o MDB, de Eduardo Cunha; PSDB, de Aécio Neves e a elite tupiniquim que pôs fim à admirada renascença brasileira. Quando sabotaram o país, através da política rasteira do quanto pior, melhor – das pautas bombas aprovadas na Câmara federal –, inviabilizando a política econômica do governo, de contenção da crise que se iniciou a partir de 2015.

Presidente, para justificar a renascença brasileira tal qual o fantástico período renascentista do século XV – movimento cultural, artístico e intelectual surgido em Florença na Itália, de mudanças econômicas e sociais - mostro os dados oficiais das Organizações das Nações Unidas (ONU); Organização Mundial da Saúde (OMS); Fundo Internacional de Emergência para a Infância das Nações Unidas (Unicef), Banco Mundial; do jornal The New York Times (https://www.nytimes.com/); do jornal Woshington Post (http://www.washingtonpost.com); da Polícia Federal (http://www.dpf.gov.br/agencia/estatisticas); Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) índice de GINI (http://www.ipeadata.gov.br); Ministério da Educação; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  (IBGE); Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco Mundial.

Dados desmontam a mentira deslavada que a classe dominante contou ao povo brasileiro – a de que a política econômica que o senhor programou a partir de 2003 – de inclusão da população no orçamento da União - quebrou o Brasil. Os dados mostram o contrário, relembre:

1. Produto Interno Bruto:
2002 – R$ 1,48 trilhões
2013 – R$ 4,84 trilhões

2. PIB per capita:
2002 – R$ 7,6 mil
2013 – R$ 24,1 mil

3. Dívida líquida do setor público:
2002 – 60% do PIB
2013 – 34% do PIB

4. Lucro do BNDES:
2002 – R$ 550 milhões
2013 – R$ 8,15 bilhões

5. Lucro do Banco do Brasil:
2002 – R$ 2 bilhões
2013 – R$ 15,8 bilhões

6. Lucro da Caixa Econômica Federal:
2002 – R$ 1,1 bilhões
2013 – R$ 6,7 bilhões

7. Produção de veículos:
2002 – 1,8 milhões
2013 – 3,7 milhões

8. Safra Agrícola:
2002 – 97 milhões de toneladas
2013 – 188 milhões de toneladas

9. Investimento Estrangeiro Direto:
2002 – 16,6 bilhões de dólares
2013 – 64 bilhões de dólares

10. Reservas Internacionais:
2002 – 37 bilhões de dólares
2013 – 375,8 bilhões de dólares

11. Índice Bovespa:
2002 – 11.268 pontos
2013 – 51.507 pontos

12. Empregos Gerados:
Governo FHC – 627 mil/ano
Governos Lula e Dilma – 1,79 milhões/ano

13. Taxa de Desemprego:
2002 – 12,2%
2013 – 5,4%

14. Valor de Mercado da Petrobras:
2002 – R$ 15,5 bilhões
2014 – R$ 104,9 bilhões

15. Lucro médio da Petrobras:
Governo FHC – R$ 4,2 bilhões/ano
Governos Lula e Dilma – R$ 25,6 bilhões/ano

16. Falências Requeridas em Média/ano:
Governo FHC – 25.587
Governos Lula e Dilma – 5.795

17. Salário Mínimo:
2002 – R$ 200 (1,42 cestas básicas)
2014 – R$ 724 (2,24 cestas básicas)

18. Dívida Externa em Relação às Reservas:
2002 – 557%
2014 – 81%

19. Posição entre as Economias do Mundo:
2002 – 13ª
2014 – 7ª

20. PROUNI – 1,2 milhões de bolsas

21. Salário Mínimo Convertido em Dólares:
2002 – 86,21
2014 – 305,00

22. Passagens Aéreas Vendidas:
2002 – 33 milhões
2013 – 100 milhões

23. Exportações:
2002 – 60,3 bilhões de dólares
2013 – 242 bilhões de dólares

24. Inflação Anual Média:
Governo FHC – 9,1%
Governos Lula e Dilma – 5,8%

25. PRONATEC – 6 Milhões de pessoas

26. Taxa Selic:
2002 – 18,9%
2012 – 8,5%

27. FIES – 1,3 milhões de pessoas com financiamento universitário

28. Minha Casa Minha Vida – 1,5 milhões de famílias beneficiadas

29. Luz Para Todos – 9,5 milhões de pessoas beneficiadas

30. Capacidade Energética:
2001 – 74.800 MW
2013 – 122.900 MW

31. Criação de 6.427 creches

32. Ciência Sem Fronteiras – 100 mil beneficiados

33. Mais Médicos (Aproximadamente 14 mil novos profissionais): 50 milhões de beneficiados

34. Brasil Sem Miséria – Retirou 22 milhões da extrema pobreza

35. Criação de Universidades Federais:
Governos Lula e Dilma – 18
Governo FHC – zero

36. Criação de Escolas Técnicas:
Governos Lula e Dilma – 214
Governo FHC – 11
De 1500 até 1994 – 140

37. Desigualdade Social:
Governo FHC – Queda de 2,2%
Governo PT – Queda de 11,4%

38. Produtividade:
Governo FHC – Aumento de 0,3%
Governos Lula e Dilma – Aumento de 13,2%

39. Taxa de Pobreza:
2002 – 34%
2012 – 15%

40. Taxa de Extrema Pobreza:
2003 – 15%
2012 – 5,2%

41. Índice de Desenvolvimento Humano:
2000 – 0,669
2005 – 0,699
2012 – 0,730

42. Mortalidade Infantil:
2002 – 25,3 em 1000 nascidos vivos
2012 – 12,9 em 1000 nascidos vivos

43. Gastos Públicos em Saúde:
2002 – R$ 28 bilhões
2013 – R$ 106 bilhões

44. Gastos Públicos em Educação:
2002 – R$ 17 bilhões
2013 – R$ 94 bilhões

45. Estudantes no Ensino Superior:
2003 – 583.800
2012 – 1.087.400

46. Risco Brasil (IPEA):
2002 – 1.446
2013 – 224

47. Operações da Polícia Federal:
Governo FHC – 48
Governo PT – 1.273 (15 mil presos)

48. Varas da Justiça Federal:
2003 – 100
2010 – 513

49. 38 milhões de pessoas ascenderam à Nova Classe Média (Classe C)

50. 42 milhões de pessoas saíram da miséria.

É importante ressaltar que estes dados fizeram o mundo olhar com outros olhos para o país, o que proporcionou ao senhor trazer para o Brasil a Copa do mundo de 2014 e as olimpíadas de 2016, lembras?

Presidente, o senhor fez muitos sentirem orgulho de ser brasileiro, pois havia de fato inclusão social antes do golpe de 2016; não só eu o comparo a outros estadistas históricos que sofreram na carne por terem ousado desafiar a desigualdade social, mas outros também reconhecem sua estatura e grandeza e envergadura política, que se compara aos grandes da humanidade: do grego Sócrates, condenado injustamente, a Martin Luther King Jr, assassinado covardemente; de Nelson Mandela, preso e condenado injustamente, ao o maior de todos, Jesus Cisto, encarcerado e torturado e crucificado por atacar a desigualdade social e levar o evangelho da igualdade a todos.

Presidente Lula, embora seja um espirituoso pacifista e exímio conciliador de classes, o senhor plantou uma semente na mente das pessoas conscientizadas que jamais será esquecido enquanto houver luta de classes.

Até à sua liberdade e que o Eterno lhe proteja e dê-lhe vida longa.

Saudações socialistas e Lula Livre!

Nezimar Borges – jornalista e professor
___

Lula, obrigado pela renascença brasileira – por Nezimar Borges Lula, obrigado pela renascença brasileira – por Nezimar Borges Reviewed by DMM on domingo, maio 19, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD