Header AD

Há 30 anos militante do Amapá segue lutando por Lula.

Mais de três décadas depois de fazer campanha para Lula na primeira eleição direta depois da Ditadura Joelma Bandeira continua apoiando o ex-presidente. Ela viajou quase 3 mil quilômetros para participar da Vigília Lula Livre. “Abracei a causa de Lula e foi isso que me trouxe para a política”.

Foto: Mauro Calove

Na Agência PT - Nessa sexta-feira (9) ela visitou a Vigília Lula Livre em Curitiba, a 2,8 mil quilômetros de distância de Macapá, onde vive.

“Essa Vigília é emblemática e não pode acabar enquanto Lula não for liberto. Está chegando a hora”, afirma, emocionada.

Joelma veio para Curitiba participar de um encontro da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e aproveitou para ir até a Vigília dar boa tarde ao ex presidente Lula. “A gente está vivendo uma ditadura do Judiciário. Acredito que a saída para essa encruzilhada histórica é o povo nas ruas e união das esquerdas”, analisa.

Filiada ao PCdoB desde 1988, Joelma recorda o início da militância política, já entusiasmada com a candidatura de Lula à presidência. “Entrei no movimento estudantil pela Juventude do PCdoB. Fomos para as ruas na primeira eleição com voto direto depois do golpe militar. Abracei a causa de Lula e foi isso que me trouxe para a luta política, que mantenho até hoje”, conta.

A prisão de Lula é a continuidade do golpe contra a democracia, afirma Joelma. “O golpe só poderia ter continuidade com a prisão dele, que era líder em todas as pesquisas de voto”, argumenta. O ataque à democracia ficou ainda mais claro quando o algoz de Lula, Sérgio Moro, foi convidado para ser ministro do governo que ajudou a eleger condenando o ex presidente.

“Não falo da injustiça contra Lula só como professora. Também sou advogada, estudei o processo e sei que a condenação dele fere os princípios da produção de provas, da ampla defesa e do contraditório”, afirma Joelma. “O que está acontecendo com Lula é totalmente político. Não tem nada de jurídico, pois as leis brasileiras não foram respeitadas”, completa.
___
Há 30 anos militante do Amapá segue lutando por Lula. Há 30 anos militante do Amapá segue lutando por Lula. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, novembro 17, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD