Header AD

Justiça Eleitoral reconhece apoio do cidadão contra compra de votos, via WhatsApp: (96) 98134 5151.

O Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) reconhece o apoio dos cidadãos na fiscalização do pleito, com denúncias recebidas por telefone e WhatsApp que resultaram em flagrantes de crime eleitoral. O MP Eleitoral recebe, em média, 100 denúncias por dia. As diligências para reprimir crimes eleitorais e evitar fraudes nas eleições também são diárias.


A promotora de Justiça Andréa Guedes, auxiliar da 2ª Zona Eleitoral de Macapá, credita à conscientização da comunidade uma parcela das ações desencadeadas que resultaram em abordagem e flagrante. Uma delas, realizada na segunda-feira (1º), constatou a presença de servidores públicos estaduais no Conjunto Habitacional Macapaba, onde estariam sendo cadastrados beneficiários do Bolsa-Família. Além da deputada Marilia Góes (PDT), no local estava o helicóptero do Grupo Tático Aéreo (GTA), indicando possível utilização indevida da aeronave.

A diligência resultou na apreensão R$ 4.050 mil, em cédulas de R$ 50, e de material da candidata e de Waldez Góes (PDT), governador e candidato à reeleição. Com o funcionário público que portava o dinheiro e o material, também foram apreendidos lista contendo nomes de eleitores e valores anotados de forma manuscrita, documentos com teor eleitoral, talões de energia e cartas de emprego para detentos. Havia, ainda, agenda e documentos com “prints” de publicações em redes sociais do candidato ao governo. O funcionário, o dinheiro e os demais itens foram encaminhados para a Polícia Federal.

No decorrer da semana, foram apuradas outras denúncias recebidas de cidadãos, como os dois casos desta quinta-feira (4), envolvendo, em situações distintas, dois veículos com material de campanha e itens que seriam usados para compra de votos. Em um dos veículos havia cestas básicas e material do candidato Promotor Moisés (PATRI). No outro, mais de R$ 11 mil em dinheiro e material de campanha do candidato Luiz Carlos (PSDB). Ambos concorrem ao cargo de deputado federal. O material apreendido nas ocorrências e as pessoas envolvidas foram apresentados na PF.

Até o final do processo eleitoral, os promotores eleitorais titulares e auxiliares, e suas equipes, vão seguir com o trabalho de fiscalização. “Nossa missão é evitar qualquer tipo de crime eleitoral, assédio, e conscientizar, para que as eleições transcorram de forma séria e sem fraudes. Agradecemos a colaboração da população que faz denúncias fundamentadas; é importante que estejamos todos atentos. Estamos 24 horas nas ruas, com várias equipes e viaturas”, enfatizou a promotora Andréa Guedes.

Denúncias

Os cidadãos podem continuar enviando informações sobre irregularidades eleitorais ao MP Eleitoral, 24 horas por dia, pelo disque-denúncia (96) 99109 7342. O número também recebe mensagens pelo aplicativo WhatsApp. Para denunciar exclusivamente pelo WhatsApp, o número é o (96) 98134 5151.

Colaborou Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Estado do Amapá.
___
Justiça Eleitoral reconhece apoio do cidadão contra compra de votos, via WhatsApp: (96) 98134 5151. Justiça Eleitoral reconhece apoio do cidadão contra compra de votos, via WhatsApp: (96) 98134 5151. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, outubro 06, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD