Header AD

Professores se acorrentam em protesto contra governo do AP.

Com salários atrasados, professores se acorrentam em protesto contra governo de Waldez Góes. Educadores integram as escolas famílias e alegam falta de pagamento de julho a dezembro de 2017. Segundo o governo do Amapá pendências com associação impedem repasse de R$ 2,3 milhões.


No G1-AP --- Acorrentados em sinal de revolta, um grupo de professores protestou na manhã desta segunda-feira (6) em frente ao prédio da Secretaria de Estado da Educação (Seed), no Centro de Macapá. Os educadores são vinculados às escolas família e reclamam do não pagamento de seis meses de salários, de agosto a dezembro do ano passado.

Os trabalhadores alegam que a não quitação dos valores acontece em função de pendências fiscais da Rede das Associações das Escolas Famílias do Amapá (Raefap), que representa as instituições, espalhadas em cinco municípios e construídas em comunidades rurais.

"Passamos por extrema dificuldade. Tem professor que perdeu seu patrimonio, foi despejado por falta de aluguel, por não poder cumprir suas obrigações. É uma situação muito constrangedora para a gente e nossas famílias. Fomos contratados como professores e hoje estamos sendo humilhados para receber nossos pagamentos", reclamou o professor Walmir Sobral, de 32 anos.

[...]
___
Professores se acorrentam em protesto contra governo do AP. Professores se acorrentam em protesto contra governo do AP. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, agosto 06, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD