Header AD

Papaléo acusa Waldez de traição e alerta Justiça para uso de caixa 2.

Papaléo Paes não aguentou conviver junto do atual governador e ex aliado político, Waldez Góes, e entregou os pontos, isto é: entregou o cargo de vice governador; o jornalista Paulo Ronaldo de Almeida aponta o motivo: Papaléo se sentiu traído pelo governador Waldez Góes, quando preferiu dar ao empresário Jaime Nunes, oportunidade de disputar a vaga de vice. Paes acusa Waldez de traição e alerta Justiça Eleitoral para uso de caixa 2.


Papaléo renuncia, acusa Waldez de traição e alerta Justiça Eleitoral para uso de caixa 2 – por Paulo Ronaldo de Almeida.

Pela primeira vez na história do Amapá, um vice-governador renúncia ao cargo. O anúncio ocorreu na manhã desta terça-feira, 8, na sala de reuniões do Palácio do Setentrião, pelo médico Papaléo Paes. Motivo: ele se sentiu traído pelo governador Waldez Góes (PDT), quando preferiu dar ao empresário Jaime Nunes, oportunidade de disputar a vaga de vice.

O ACORDO

Papaléo iniciou a coletiva à imprensa afirmando que havia entre o governador Waldez um acordo de cavalheiros no qual ele seria o vice, em caso de reeleição de Waldez, e justamente por isso ele não se descompatibilizou do cargo para disputar as eleições deste ano, seja para o Senado ou deputado federal.

"Jamais suspeitei da palavra do Waldez, mas numa movimentação política ele me excluiu da vice e de qualquer outra candidatura”, desabafou.

ALERTA PARA CAIXA 2

Papaléo citou uma das últimas conversas que teve com o governador do Estado, quando foram interrompidos pelo secretário de Fazenda, Josenildo Santos Abrantes, dizendo que para ganhar a eleição precisavam do Jaime como vice.

“Dúvido porque Jaime quer ser vice? É bom que a Justiça Eleitoral fique atenta para o uso de Caixa 2. Jaime vai querer ser dono do Estado? É ele que vai recolher os impostos de si mesmo?”, indagou.

OPERAÇÃO MÃOS LIMPAS

Papaléo também achou estranho que Jaime seja candidato a vice-governador e falou da podridão que envolve os bastidores da política. Isso, porque no dia 30 de novembro de 2013, Waldez Góes na qualidade de ex-prisioneiro do Complexo Penitenciário da Papuda, acusou o delegado da Polícia Federal, Jorvel Veronese, e os empresários Adiomar Veronese e Jaime Nunes de terem articulado a operação Mãos Limpas, que o prendeu, juntamente com a esposa, a hoje deputada estadual, Marília Góes, secretários de Estado, políticos, empresários e servidores públicos em 2010.

OSTENTAÇÃO

Durante a coletiva Papaléo Paes acusou Josenildo Santos Abrantes de ostentação. Deixou a entender que os gastos do mesmo são incompatíveis com seu salário e mandou um recado, sem citar nomes. “Antes tinha uma lanterna apontada para esse cidadão. Agora tem um holofote, que espalha mais luz, pegando mais gente”, alertou.

OS MENUDOS

Fazendo referência a banda porto-riquenha Menudos, que fez sucesso na década de 80, Papaléo, citou os secretários Josenildo, Teles Júnior (Planejameto) e Gilberto Ubaiara (Comunicação), como aqueles que levarão o governador a ruína, em virtude da sede de poder que os mesmos têm.

SEM VOLTA

No final da coletiva, Papaléo leu a carta-renúncia e logo em seguida a protocolou na Assembleia Legislativa para deixar claro que sua decisão não tem volta. “Estou triste e decepcionado com o governador Waldez”, reafirmou.
___

Papaléo acusa Waldez de traição e alerta Justiça para uso de caixa 2. Papaléo acusa Waldez de traição e alerta Justiça para uso de caixa 2. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, agosto 07, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD