Header AD

Sinsgaap emite nota de repúdio contra Governo Waldez.

O Sindicato dos Servidores do Grupo Administrativo do Estado do Amapá (Sinsgaap) emitiu nota de repúdio contra o Governo do Amapá e à atitude do governador do Amapá, Waldez Góes (PDT-AP), de não conceder perdas salariais desde 2015.


Segundo o Sinsgaap, o repúdio é por causa das “palavras” não cumpridas pelo governador Waldez Góes. O Sindicato alega que Waldez “assegurou com a sua palavra, que resolveria os problemas de distorções internas dentro do Grupo Gestão Governamental deixadas por ele próprio, quando deixou a direção do Governo do Estado do Amapá em 2010 e que não deixaria mais que distorções, sejam internas no Grupo Gestão Governamental, seja também em relação aos demais Grupos de servidores ocorressem em seu Governo”. Além disso, os trabalhadores afirma que "míseros 2,8% de aumento linear" não cobre a inflação no período de março/2017 a abril/2018 medida pelo IPCA, que é de 3,15%.

Leia a nota:


NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Servidores do Grupo Administrativo do Estado do Amapá – SINSGAAP, que representa toda a categoria dos servidores pertencentes ao Grupo Gestão Governamental (Lei 1296/2009) e Grupo Administrativo (Lei 0618/2001), vem neste momento apresentar REPÚDIO à atitude do Exmo. Governador do Estado do Amapá, sr. Waldez Góes, bem como a sua Equipe de Governo que compõe o poder decisório na Agenda do Servidor, que de maneira unilateral, resolveram não conceder nenhuma espécie de benefício à toda a categoria do Grupo Gestão Governamental e Grupo Administrativo além dos míseros 2,8% de aumento linear, que não cobre a inflação no período de março/2017 a abril/2018 medida pelo IPCA que é de 3,15%.
Salientamos que o Exmo. Governador do Estado, na época da sua campanha em 2014 e posteriormente em 2015, já na qualidade de Comandante maior de nosso Estado, assegurou com a sua palavra, que resolveria os problemas de distorções internas dentro do Grupo Gestão Governamental deixadas por ele próprio, quando deixou a direção do Governo do Estado do Amapá em 2010 e que não deixaria mais que distorções, sejam internas no Grupo Gestão Governamental, seja também em relação aos demais Grupos de servidores ocorressem em seu Governo.

Confirmamos que o mesmo iniciou o processo no intuito de acabar com as distorções salariais deixadas em 2010, através de ações em 2015, que foram mal concluídas somente em 2017, pois as distorções nas tabelas salariais ainda são gritantes. Contudo, quando neste ano de 2018, após meses de estudos e incansáveis trabalhos, realizados pela comissão formada pelo SINSGAAP e o SUPERGEST a pedido da Agenda do Servidor, pensávamos que o Governo do Estado fosse efetivar a eliminação das distorções das tabelas salariais, fomos surpreendidos com a informação da parte do Governador do Estado e sua equipe de que os servidores do Grupo de Gestão Governamental deveriam se contentar e serem gratos por aquilo que o Governo já havia feito, e que, ao contrário do que havia afirmado com a sua palavra, neste ano de 2018 faria a consolidação das distorções das tabelas salariais, deixando as tabelas salariais do Grupo Gestão Governamental com distorções que chegam a mais de 50% no caso dos servidores de nível superior e de mais de 65% no caso dos servidores de nível básico e médio em relação as tabelas salariais das demais categorias.

Não estamos aqui desqualificando nenhuma outra categoria por qualquer ganho conquistado, mas estamos repudiando a forma ignorante com o qual o Grupo de Gestão Governamental foi deixado de fora das negociações deste ano. Sendo isto um absurdo.

Num ato desesperador o Grupo Gestão Governamental realizou um Ato Público na frente da SEAD na última sexta-feira (06/04/2018) com o intuito de sensibilizar o Governo do Estado sobre esta caótica situação e uma equipe se dirigiu ao Palácio do Governo no último sábado (07/04/2018) onde participou dos atos onde o Governador sancionou diversas leis de diversas categorias e na tentativa de ter uma conversa através de uma abordagem direta junto ao Governador, o qual simplesmente ignorou, informando apenas a um de nossos articuladores, de que o Governo não tinha interesse (o qual entendemos falta de interesse político) de ao menos conversar conosco e que se sentia ofendido pela categoria por não estar satisfeita com as migalhas ora dadas por ele. Fato que nos deixaram, infelizmente, com sentimentos que misturam frustração, tristeza, desapontamento, revolta e muitos outros.

Estaremos ainda nesta semana publicando um Edital de Convocação da categoria para avaliarmos a OMISSÃO do Governo do Estado em relação ao nosso caso e quais medidas legais poderemos tomar.
Ainda continuamos acreditando que UNIDOS SOMOS FORTES! E que estas ações do Governo do Estado que visam tão somente enfraquecer a nossa categoria não nos farão desistir de nossos direitos.

Direção do SINSGAAP.

___
Sinsgaap emite nota de repúdio contra Governo Waldez. Sinsgaap emite nota de repúdio contra Governo Waldez. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, abril 13, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


Post AD