Header AD

UNIFAP terá curso de extensão sobre o golpe de 2016.

A Universidade Federal do Amapá (Unifap) terá curso gratuito sobre o golpe jurídico-midiático de 2016, que derrubou a presidente honesta Dilma Rousseff e colocou no poder uma quadrilha liderada pelo usurpador, Michel Temer (MDB). Curso debaterá as implicações do golpe para democracia brasileira."O golpe de 2016 e as perspectivas para a democracia".


Atualização em 14/03/2018, às 9h57min --- O curso será coordenado pelos docentes Andrius Estevan Noronha, Antônio Carlos Sardinha, Camila Maria Risso Sales, Cássia Hack, Eliane Apareceida Cabral da Silva, Marcos Vinícius Freitas e Roni Mayer Lomba.

A Unifap segue mesmo caminho de outras 33 Universidades que também terão cursos sobre o golpe de 2016 travestido de impeachment, quando a presidenta Dilma Rousseff foi deposta sem crime de responsabilidade. Segundo a organização de algumas dessas Universidades, a iniciativa foi motivada após as tentativas de censura à Universidade de Brasília (UnB), que propôs a criação de uma disciplina sobre o tema em questão. O objetivo dos encontros é promover o debate e o pensamento crítico acerca da atual conjuntura nacional.

Internacionalização dos debates sobre o golpe no Brasil.

Durante o primeiro semestre de 2018, a Faculdade de Ciências Sociais da Universidad de los Andes, em Bogotá, oferece as aulas “Das jornadas de junho de 2013 ao Golpe de 2016”, como parte do curso “Vozes de resistência no Brasil”. Coordenada pela Prof. Luciana Andrade Stanzani, mestre em educação e bacharel em ciências sociais pela Universidade de São Paulo, a disciplina se propõe a analisar as manifestações culturais de resistência no Brasil em diferentes períodos históricos.

Os efeitos do golpe de 2016 também serão discutidos no “Seminário de Estudos Brasileiros (SEMBRAR)”, na Cidade do México, criado pelas professoras e pesquisadoras Regina Crespo, doutora em História, do Centro de Investigaciones sobre América Latina y el Caribe, Monika Meireles, doutora em Estudos Latino-americanos, do Instituto de Investigaciones Económicas, ambas da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM), e Miriam Madureira, doutora em Filosofia, da Universidad Autónoma Metropolitana (UAM).

Com as iniciativas na Colômbia e no México, já são 36 universidades que oferecem cursos sobre o golpe de Estado que destituiu a Presidenta eleita Dilma Rousseff em 2016; entre elas a Universidade de Bradford, na Inglaterra, e 33 instituições em todo o Brasil (UEA, UEL, UEM, UEPB, UERJ, UESPI, UFABC, UFAM, UFBA, UFCG, UFES, UFG, UNIFAP, UFJF, UFMG, UFMGS, UFOP, UFPA, UFPB, UFPR, UFRB, UFRN, UFRGS, UFRJ, UFRR, UFS, UFSB, UFSC, UFSCAR, UFSM, UFV, UnB, UNESP, UNICAMP e USP).

As aulas na UNIFAP terão início no dia 24 de março e se estendem até o dia 7 de julho deste ano.
(Com informações do Brasil/247 e Mídia Ninja)

___

UNIFAP terá curso de extensão sobre o golpe de 2016. UNIFAP terá curso de extensão sobre o golpe de 2016. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, março 13, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


Post AD