Header AD

Professores do AP paralisam contra reajuste salarial de 2,8% em 4 anos.

Profissionais da educação paralisam contra reajuste salarial de 2,8% em 4 anos em ato que ocorreu no Centro de Macapá na manhã desta terça-feira (27). Sindicato informa que perdas somam cerca de 60%.


Professores saíram às ruas do centro de Macapá em protesto contra o reajuste salarial anunciado pelo governo do pedetista, Waldez Góes, e por mais condições de trabalho. A paralisação reuniu também servidores públicos do quadro administrativo da educação.

O Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap) alega que desde 2011 os professores têm perdas salariais que ultrapassam os 60%. Esse cálculo teria como base os reajustes feitos pelo Ministério da Educação (MEC) do piso salarial nacional.

O Sinsepeap comunicou, em nota, nesta segunda-feira (26) que recebeu com surpresa e indignação o anúncio de reajuste de 2,8%, feito por representantes do governo Waldez.

O Sindicato lembra que a proposta sequer contempla os índices estabelecidos pela portaria do MEC e IPCA, e considera o percentual uma afronta aos servidores públicos da Educação, que estão há 3 anos sem reajuste.

A paralisação tem duração de dois dias, nesta terça e quarta-feira (28). O movimento teve grande adesão por parte dos professores, que esperam reajuste salarial desde 2015, quando tomou posso o governador Waldez Góes.

A categoria convoca a todos os profissionais da educação para uma assembleia geral, na quarta-feira (28), na Praça da Bandeira, às 8h30 (primeira chamada) e 9h (segunda chamada), constando em pauta: informes e indicativo de greve.
___
Professores do AP paralisam contra reajuste salarial de 2,8% em 4 anos. Professores do AP paralisam contra reajuste salarial de 2,8% em 4 anos. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, março 27, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


Post AD