Header AD

Camilo a radialista: ‘Critica os adversários fazendo “análises” tendenciosas’.

A Justiça Eleitoral do Amapá obriga o radialista e advogado Carlos Lobato a deixar de fazer política ilegal em emissora de rádio. Decisão judicial lembra derrotas daqueles que fizeram política com as vísceras ao denegrir imagem alheia, a fim de capitalizar alguma notoriedade em períodos pré-eleitorais.


O ex-governador Camilo Capiberibe usou o Facebook para destacar decisão da Justiça Eleitoral, que impôs determinação ao radialista Carlos Lobato para que deixe de atacar adversários políticos e se apresentar como pré-candidato a deputado estadual ao pleito de 2018, de falar sobre suas propostas políticas e, ainda, que pare de pedir votos no programa que apresenta em uma emissora de rádio local.

---‘O radialista se promove e promove os pré-candidatos apoiados por ele e critica os adversários fazendo “análises” tendenciosas na maior parte das vezes com o objetivo de valorizar parceiros e desmerecer adversários, e o pior é que tem quem acredite nele’--- desabafou Camilo, vítima do radialista e sistematicamente atacado no programa de rádio.

Histórico de ações no Tribunal Regional Eleitoral.

É líquido e certo — assim como as chuvas intensas no mês de março, todo ano, ou a queda brusca do preço do açaí na grande safra nos meses de setembro, outubro e novembro — de quatro em quatro anos, o radialista Carlos Lobato é condenado pela Justiça Eleitoral por fazer propaganda prematura, ilegal e extemporânea.

Na eleição de 2010, a Justiça Eleitoral julgou procedente a ação por danos morais e danos à imagem, impetrada pelo senador João Capiberibe contra o comunicador militante. A juíza da 4ª Vara Cível Alaide Maria de Paula destacou em sua decisão: “o réu (Carlos Lobato) agiu de modo a denegrir a imagem do autor perante os ouvintes de seu programa, isto porque proferiu acusações INVERÍDICAS em desfavor do autor”.

Quatro anos depois, no pleito de 2014, o radialista exerceu novamente a habilidade do contorcionismo para mais uma vez atacar e outra vez ser condenado pela Justiça amapaense, a cumprir seis meses de detenção pelo crime de injúria e difamação contra Camilo Capiberibe. A decisão foi do juiz Cassius Clay.

Neste 2018, no período pré-eleitoral, a determinação do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) atende a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE). Caso Carlos Lobato descumpra a ordem judicial, estará sujeito ao pagamento de multa de R$ 10 mil por conduta ilícita praticada. A decisão foi emitida na última terça-feira (20).

Resultado Ineficaz.

Outros pré-candidatos são efetivamente exemplos de que quem faz política com o fígado não chega a resultado eficiente.  É o caso do ex-pré-candidato a deputado federal pelo PSDB, advogado Cícero Bordalo Júnior e a médica, Maria Tereza Rennó

Bordalo enumerou em 24 pontos o que pensa em relação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, atacando-o, julgando-o e condenando-o sem provas. Entre os seus 24 pontos tascou “saqueador das Estatais”; e terminou com “mandraque e professor; suma com um dedo, aposente e fique à toa para se tornar candidato a presidente”. A intenção evidente do pré-candidato: ganhar visibilidade ao vociferar contra Lula. Não aguentou fazer política construtiva e entregou os pontos e a bandeira. Desistiu da candidatura.

O caso da viúva do saudoso deputado, Dalto Martins, Maria Tereza Rennó é outro exemplo revigorante para o “sucesso” de pseudos-políticos. Ela tentou arregimentar o patrimônio político do falecido marido em vão. O que deu errado para Maria Tereza depois de quatro derrotas eleitorais, incluindo campanhas à vereança e à deputada estadual? A crítica canina a programas de inclusão social do governo Lula-Dilma e talvez, o horror a pobre.

Rennó e Bordalo podem ser exemplos a marinheiros de primeira viagem. Com forma demagógica, extravagante, grosseira e ilegal de fazer política, Lobato, que é pré-candidato a uma vaga de deputado estadual pelo PDT, pode não passar do Curiau, e não supere os dividendos conseguidos nas urnas por Maria Tereza Rennó: cerca de 1000 votos.
____

Camilo a radialista: ‘Critica os adversários fazendo “análises” tendenciosas’. Camilo a radialista: ‘Critica os adversários fazendo “análises” tendenciosas’. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, março 22, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário


SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.

O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não há necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD