Header AD

Maurício Costa: não existe nada mais falso do que a honestidade de Bolsonaro.

O fascista Jair Messias Bolsonaro seria a quinta-essência da honestidade; não seria corrupto de acordo com concepções subjetivas, abstratas e moralistas pequeno-burguesas comum a toda a direita. Nada mais falso. Quem avalia é o professor, poeta e artista, Maurício Costa, em publicação em uma rede social.


Sobre a "honestidade" de Bolsonaro e da extrema direita... - por Maurício Costa.

Segundo os desvairados seguidores do deputado federal de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSC-RJ), o fascista seria a quinta-essência da honestidade no mundo inteiro; logo, não seria corrupto de acordo com suas próprias concepções subjetivas, abstratas e moralistas pequeno-burguesas comum a toda a direita. Nada mais falso.

Em primeiro lugar, ignoram que o "mito" é um dos muitos parlamentares que recebeu dinheiro da empresa nacional JBS, R$ 300 mil, para ser mais exato, que foram depositados diretamente na conta bancária de Bolsonaro que ao invés de devolver o valor para a JBS, preferiu entregá-lo a seu antigo partido, o PP. Posteriormente, pediu ao partido exatamente a mesma quantia que lhe havia transferido, num caso infantil, clássico e criminoso de lavagem de dinheiro.

Em segundo lugar, também ignoram que os partidos e parlamentares da burguesia recebem financiamento privado de toda sorte de empresas capitalistas cujo lucro é inteiramente extraído da força de trabalho da classe operária num processo ultra-corrupto de exploração, expropriação e extorsão de milhões de trabalhadores para o uso-fruto de um desprezível número de parasitas do produto do trabalho alheio, o que inclui, portanto, o próprio deputado fascista que, como qualquer burguês que se preze, desconhece o conceito e a prática do trabalho.

Por último, o velho discurso moral e direitista sobre "honestidade" e "anti-corrupção" do qual Bolsonaro e a direita se utilizam é uma dos muitas armas demagógicas e psicológicas que foram utilizadas sobre as massas por ditadores e bandidos fascistas como Hitler, Mussolini e Franco para ocultar sua própria política corrupta, anti-operária e burguesa com o objetivo de esmagar e calar a classe trabalhadora, suas reivindicações e organizações de luta na primeira oportunidade que tivessem. A história está saturada de exemplos trágicos e hediondos nesse sentido...

Dessa forma, não somente Bolsonaro, mas a direita, a extrema-direita e, portanto, o conjunto de criminosos burgueses representantes da política mais demagógica, sorrateira e mentirosa devem ser duramente denunciados e combatidos por todos os meios necessários como verdadeiros inimigos da classe trabalhadora em virtude dos interesses de classe que representam e, portanto, da política de perpetuação desses interesses que sempre defenderam em oposição violenta e histórica à luta emancipatória dos trabalhadores.

___
Maurício Costa: não existe nada mais falso do que a honestidade de Bolsonaro. Maurício Costa: não existe nada mais falso do que a honestidade de Bolsonaro. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on domingo, dezembro 03, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD