Header AD

Senhores da Fome: Justiça suspende sigilo das intercepções telefônicas.

"Senhores da Fome": a pedido do MP-AP, Justiça suspende sigilo das intercepções telefônicas entre os envolvidos. As informações são do MP-AP.


A pedido do Ministério Público do Amapá (MP-AP), o juízo da 4ª Vara Criminal de Macapá suspendeu o sigilo dos diálogos gravados no curso das investigações que resultaram na operação "Senhores da Fome", deflagrada no último dia 31 de outubro. Grampos revelam esquema de corrupção para desviar recursos da merenda escolar na rede pública estadual.

Durante a operação "Senhores da Fome" foi exposto o esquema, envolvendo empresários, diretores e servidores públicos, que desviou R$ 2 milhões, por meio do contrato firmado entre a SEED e a Cooperativa Agroindustrial de Produção de Alimentos do Amapá (AGROCOOP), responsável por entregar gêneros alimentícios em 100 escolas. O valor global do contrato era de R$3 milhões, mas foi constatado que apenas 30% dos alimentos foram realmente entregues.

Suspensão do sigilo

Antes de suspender o sigilo dos áudios, a juíza Mayra Julia Teixeira Brandão certificou-se de que a divulgação não comprometeria em nada a efetividade das investigações. Tanto o MP, quanto a Polícia Federal esclareceram que os elementos probatórios envolvidos já foram colhidos e são de pleno conhecimento.

Nesse sentido, em breve relatório, a magistrada deferiu o pedido o MP para divulgar os diálogos. "(…) sendo certo ainda que se delimitou a divulgação apenas daqueles áudios relacionados aos fatos criminosos apurados, os quais são de interesse da sociedade", manifestou Mayra Brandão.

Áudios revelam detalhes do esquema criminoso

Nos diálogos gravados com autorização da justiça, os acusados foram flagrados nos mais diversos ajustes para desviar o dinheiro da merenda escolar. Amélio da Silva Trindade, então diretor adjunto da escola Maria de Nazaré Pereira Vasconcelos, por exemplo, pede a Elivaldo da Silva Santos (proprietário da empresa E. Silva Santos LTDA, nome de Fantasia CCS – Construções Comércio e Serviços, então fornecedor de merenda escolar) um botijão de gás para ser entregue em sua residência.

Em outro áudio, Elivaldo da Silva recebe de Biracy de Jesus Guimarães, funcionário do setor de Licitação da Secretaria de Estado da Educação – SEED em 2016, orientações para fraudar o processo licitatório. Elivaldo também foi gravado em conversa com a diretora Financeira da Secretaria de Estado da Educação – SEED à época, Débora Adriana Sarmento Corrêa, em ajustes para pagamento de propinas.

Na conversa entre os membros da Cooperativa Agroindustrial de Produção de Alimentos do Amapá – AGROCOOP, Edilson e Rodrigo, é possível constatar que os produtos entregues nas escolas eram de baixa qualidade. No diálogo, Rodrigo afirma que as polpas de frutas puras deveriam ser destinadas para venda, enquanto as destinadas às escolas eram diluídas (acrescentado água para aumentar o volume/quantidade).

Já no diálogo gravado após a deflagração da operação “Senhores da Fome”, dois homens, cujas identidades estão sendo checadas, afirmam que a então Secretária de Educação, Conceição Medeiros, tinha pleno conhecimento dos erros na contratação da AGROCOOP para o fornecimento de merenda escolar.

Ouça os áudios.

____
Senhores da Fome: Justiça suspende sigilo das intercepções telefônicas. Senhores da Fome: Justiça suspende sigilo das intercepções telefônicas. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, novembro 14, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD