Header AD

Mala de dinheiro não é prova contra Temer, diz novo chefe da PF avalizado por Sarney e aliados.

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, criticou a investigação da Procuradoria Geral da República sobre a prática de corrupção por parte de Michel Temer no caso da JBS. O ex-presidente José Sarney fez lobby junto ao presidente Michel Temer por novo diretor-geral da Polícia Federal. 


---‘A gente acredita que, se fosse sob a égide da Polícia Federal, essa investigação teria de durar mais tempo porque uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime, quem seriam os partícipes e se haveria ou não corrupção’---, afirmou o chefe da PF, Fernando Segóvia, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (20).

A mala a que Segóvia se refere foi um dos pilares da denúncia oferecida pela PGR contra o presidente por corrupção passiva. A acusação foi barrada pela Câmara em agosto.

---‘É um ponto de interrogação que fica hoje no imaginário popular brasileiro e que poderia ser respondido se a investigação tivesse mais tempo’---, completou.

Temer foi denunciado por Rodrigo Janot, então procurador-geral, por corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa em decorrência da delação de Joesley Batista.

Sarney fez lobby por novo diretor da PF em encontro com Temer.

O ex-presidente José Sarney fez lobby junto ao presidente Michel Temer pelo novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia.

Sarney, que é um dos principais aliados do presidente, esteve com Temer no final de semana passado.
Mas desde setembro o ex-presidente se queixava a Temer de Leandro Daiello, que foi substituído por Segóvia.

Segundo o blog da jornalista Andréa Sadi, do G1, o lobby de Sarney junto a Temer pela troca na PF se intensificou no final de semana do dia 17 de setembro.

Sarney foi recebido pelo presidente no Palácio do Jaburu, quando tratou do assunto, segundo relatos obtidos pela jornalista.

Segóvia foi superintendente da PF no Maranhão, base política de Sarney.

No início de novembro, mais precisamente no sábado (4), quando Sarney foi ao Jaburu, Temer também chamou Romero Jucá (PMDB-RR) para participar da reunião em que escolheram o novo chefe da PF. Na ocasião, o líder do governo no Senado era um dos principais entusiastas da troca no comando da Polícia Federal.

Em nota, a assessoria de Sarney disse que o ex-presidente não fez gestão por Segóvia junto a Temer. E que o fato do novo diretor ter sido superintendente da PF no Maranhão não significa que os dois sejam próximos.

Com informações do Brasil/247 e jornalista Andréa Sadi, do G1.
___
Mala de dinheiro não é prova contra Temer, diz novo chefe da PF avalizado por Sarney e aliados. Mala de dinheiro não é prova contra Temer, diz novo chefe da PF avalizado por Sarney e aliados. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, novembro 20, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD