Header AD

Internautas seguidores de Bolsonaro “comemoram” matança em Macapá.

A morte de pelo menos sete pessoas de forma violenta — com indícios de execução registradas em Macapá, entre às 23h de quinta-feira (19) e 3h de sexta-feira (20) — fez internautas seguidores do deputado pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro (PEN), comemorarem elevado índice de homicídios em apenas 4h. Onda de violência ocorreu horas após o sepultamento do policial militar, sargento Hudson Conrado, na tarde desta quinta-feira (18). O PM foi executado barbaramente e sem chance de defesa nas proximidades do Museu Sacaca, em noite da última quarta-feira (17).


Atualização em 21/10/2017, às 09h01' ---‘Em momentos como esse, nós cidadãos de bem, nos damos sim o direito de comemorar a morte de bandidos. Não é insensibilidade ou falta de humanidade, não. É um sentimento de justiça, mesmo que ela venha de forma torta’---, escreveu internauta apoiadora do Bolsonaro, segundo indicação do seu perfil no Facebook.

---‘ Se for bandido eu não tenho um pingo de pena, e quem tem pena de bandido é só ir colher eles e levar pra casa pra domesticar’---, complementou outro navegante bolsonarista.

A onda de violência em Macapá nos últimos anos e a crescente escalada de homicídios nos últimos dois dias parece que aguçou sentimento de vingança em “pessoas de bem”. “Prefiro ver a mãe e a marmita de um bandido chorando, do que ver a mãe ou esposa de uma pessoa de bem lamentando a perda de um ente. Estão com pena dos abatidos? Leva pra casa os que restaram, ainda tem muitos!”, escreveu internauta.

--‘Seria tão bom se fizesse essa limpeza toda noite’--- disparou outro usuário da rede social, apoiador do deputado da extrema direita.

Nos comentários, houve quem chamou à razão. “Nossa! Quanta crueldade. Cadê o Cristo no coração de vcs? Não são cristãos?”

Escalada de violência

Segundo informações da Polícia Militar do Amapá, os crimes ocorreram nas zonas Sul, Oeste e Norte da capital. Até a última atualização dessa matéria ninguém havia sido preso.

A revolta e o desejo de fazer justiça com as próprias mãos pode ser consequências do descontrole das ações políticas do governo do Amapá no setor de segurança pública.

Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgados em julho deste ano, o Amapá é o terceiro estado na região Norte do Brasil com o maior índice de homicídios dos últimos anos.

A bem da verdade, maioria das pessoas que desejam violência policial (algumas até falam em matança generalizada) foi vítima da violência dos que estão à margem da sociedade e excluídos socialmente.

Essas pessoas vítimas da crescente onda de violência no Amapá se deixam levar pelo sonso comum, aquele que está na superfície: ‘se matarem todos os bandidos, a cidade terá paz’. Esta falácia não encontra guarida na razão científica, principalmente na sociedade de consumo,no país mais injusto e desigual do mundo, onde seis brasileiros concentram a mesma riqueza que a metade da população mais pobre.

Vítimas

Das 7 vítimas, 4 não tinham passagem pela polícia.

Alessandro Freitas Leão, 25 anos - passagem pela polícia por tráfico, lesão corporal e roubo

Stane Lobato Mira, 26 anos - passagem pela polícia por porte ilegal de arma

Edinaldo Macedo de Lima, idade não informada - sem passagem/nome não encontrado

*Jhonatan Moraes Melo, 19 anos - sem passagem/nome não encontrado

*Lucas da Cruz Correa, 23 anos - sem passagem

*Breno Ruan Lima, 24 anos - sem passagem

*Jhon Lennon Mourão Feitosa, 24 anos - sem passagem.

___
Internautas seguidores de Bolsonaro “comemoram” matança em Macapá. Internautas seguidores de Bolsonaro “comemoram” matança em Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, outubro 20, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD