Header AD

Senador Davi se ausenta para não apreciar a urgência da reforma trabalhista e ajuda Temer.

O senador Davi Alcolumbre (DEM) se ausentou do Plenário durante a votação da urgência para apreciar a Reforma Trabalhista. Para a oposição, Davi utilizou velha estratégia:  a de se ausentar para ajudar a aprovação da urgência e atender os interesses do governo Temer, sem ter que registrar o voto nominal e ter o desgaste político de ter votado contra os interesses dos trabalhadores brasileiros, ao contrário dos senadores Randolfe Rodrigues (Rede) e João Capiberibe (PSB) que estavam presente e votaram contra.

Foto: reprodução Facebook.
Por 46 votos favoráveis e 19 contrários, o plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (4) o regime de urgência para a aprovação da reforma trabalhista na Casa.

Com isso, o projeto deve ser apreciado pelo colegiado em até duas sessões. Esta será a última etapa da tramitação da reforma no Senado, onde já foi analisada em três comissões.

O senador do Democratas (DEM) se ausentou do Plenário durante a votação da urgência para apreciar a Reforma Trabalhista. Para adversários, o senador Davi lançou mão de estratégia para ajudar a aprovação da urgência e atender os interesses do governo Temer, do qual é vice-líder no Senado, sem ter que registrar o voto nominal e ter o desgaste político de ter votado contra os interesses dos trabalhadores brasileiros. Diferente dos senadores João Capiberibe (PSB) e Randolfe Rodrigues (Rede) que se fizeram presente e votaram contra a urgência da reforma.

Retrocesso

O texto da reforma altera profundamente as relações trabalhistas no Brasil, ao regulamentar o trabalho intermitente, acabar com a contribuição sindical, enfraquecer a Justiça do Trabalho e fazer acordos coletivos prevalecem sobre a legislação, entre outros pontos.

Ainda que a maior parte da grande imprensa não aborde o impacto negativo das mudanças, como mostrou levantamento da ONG Repórter Brasil, inúmeros especialistas são contrários ao texto.

---‘Com a reforma trabalhista, o poder do empregado fica reduzido a pó’--- disse a Carta Capital Maria Aparecida da Cruz Bridi, professora de Sociologia da Universidade Federal do Paraná.

Ricardo Antunes, da Unicamp, referência na sociologia do trabalho, fez duras críticas ao texto em entrevista a revista Carta Capital. "Na escravidão o trabalhador era vendido. Na terceirização, é alugado", afirmou ele.

Memória

Davi Alcolumbre — que é pré-candidato ao governo do Amapá, com apoio do senador Randolfe Rodrigues (Rede) e do prefeito Clécio Luís (Rede) — votou a favor da PEC 55, que congelou os investimentos em educação, saúde e segurança pública, para os próximos 20 anos.

Atualizado em 05-07-2017, às 09h47'.

____
Senador Davi se ausenta para não apreciar a urgência da reforma trabalhista e ajuda Temer. Senador Davi se ausenta para não apreciar a urgência da reforma trabalhista e ajuda Temer. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, julho 05, 2017 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD