Header AD

Secretário do governo Waldez diz que ser contra terceirização geral do trabalho é "demagogia".

Secretário estadual de planejamento do governo do Amapá, Antônio Teles Júnior, disse que projeto dinamiza e flexibiliza mais o mercado de trabalho.


Em entrevista para o programa Luiz Melo Entrevista (Rádio Diário FM 90,9), na manhã desta sexta-feira, 24, o secretário estadual de planejamento, Antônio Teles Júnior, disse que os que se posicionam contra a terceirização, primeiramente aprovada no Senado e, agora, na Câmara dos Deputados, “praticam demagogia política”.

Para ele a terceirização, como um dos pontos da reforma trabalhista que se tenta implementar no país, pode promover maior dinamização do processo produtivo das empresas e permite maior aquecimento do mercado de trabalho, a curta prazo, com maior flexibilidade, o que acaba facilitando a contratação de funcionários.

O secretário afirmou ainda que o projeto de terceirização quebra o poder de fogo dos sindicatos e dos agentes políticos de oposição, querendo que a lógica do interesse próprio prevaleça sobre a lógica do interesse público.

Votação.

Dos parlamentares amapaenses, apenas Marcivânia Flexa, do PC do B, e Janete Capiberibe, do PSB votaram “Não” à proposta desenterrada pelo governo Temer, aprovada pelo Senado Federal na era do presidente Fernando Henrique Cardoso. E segue agora diretamente para sanção presidencial.

Reação à nova lei.

Centrais sindicais e deputados da oposição criticaram a medida, dizendo que ela fragiliza e precariza as relações de trabalho e achata os salários. Antes do projeto, a Justiça do Trabalho só permitia a terceirização em atividades secundárias – conhecidas como atividades-meio, que não são o principal negócio de uma companhia.

Todos os trabalhadores regidos pela CLT poderão ser pagos por empresas terceirizadas, sem carteira assinada, o que não obriga patrões a pagar direitos trabalhistas, como férias, décimo terceiro salário, entre outros direitos.

Para os políticos que votaram ‘SIM’, e agentes de governos neoliberais, como o secretário Teles, a implementação da terceirização geral e irrestrita do trabalho irá aumentar postos de emprego. (Com informações de Douglas Lima, do Diário do Amapá).
 ___
Secretário do governo Waldez diz que ser contra terceirização geral do trabalho é "demagogia". Secretário do governo Waldez diz que ser contra terceirização geral do trabalho é "demagogia". Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, março 24, 2017 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD