Header AD

Secretário do governo do AP defende reforma da previdência de Temer.

O secretário de Planejamento do governo de Waldez Góes (PDT), Antônio Teles Júnior, voltou a argumentar a favor das reformas do governo do presidente peemedebista, Michel Temer, em entrevista em uma emissora de rádio local, na manhã desta quarta-feira (29).

Para o secretário, a reforma da previdência social proposta pelo governo Temer é necessária ao país, e compara o Brasil com países desenvolvidos em relação à contribuição previdenciária.

---‘Veja, população efetivamente ativa de países de primeiro mundo, como Japão e França, com mais de 65 anos tem participação proporcionalmente maior no PIB [Produto Interno Bruto], do que no Brasil ’--- argumenta, associando à idade média do brasileiro, de 72 anos.

Teles Junior cita o exemplo da falência do estado do Rio de janeiro, que atualmente não tem condições de honrar com pagamentos dos salários dos servidores públicos, incluindo os pagamentos dos aposentados.

Questionado sobre que nota daria ao governo do presidente Michel Temer, o secretário não tergiversou e deu nota dez para o mandatário.

---‘Do ponto vista institucional eu daria nota 10’--- diz. Nota máxima se refere a posição do presidente em não ter titubeado para fazer reformas impopulares. Porém, em relação à ética, cunhou nota zero.

Secretário também defendeu a lei da terceirização ampla, geral e irrestrita para atividades meio e fim para empresas públicas e privadas, em entrevista em outra emissora de rádio local. Na ocasião, disse que os que se posicionam contra a terceirização [lei primeiramente aprovada pelo Senado Federal na década de 90 em governo de Fernando Henrique e, ressuscitada agora, pela Câmara dos Deputados] “praticam demagogia política”, ver aqui.

**************************

PS1.  Pela argumentação do secretário, dificilmente um trabalhador usufruiria de pelo menos 7 anos de aposentadoria, compreendida entre 65 e 72 anos (atual média de vida do brasileiro), já que pela proposta do governo cada cidadão terá que trabalhar cerca de 49 anos para receber integralmente o benefício.

PS2. Comparação entre Brasil e países desenvolvidos como França e Japão é descabida, pois o Brasil figura entre as nações que possuem maior índice de desigualdade social do mundo, portanto, certamente a qualidade de vida para os velhos desses países deve ser bem diferente da realidade brasileira.

PS3. Vários fatores contribuíram para situação falimentar do Estado do Rio, uma delas certamente foram as administrações peemedebistas dos últimos 10 anos, com o penúltimo govenador encarcerado no presídio de Bangu. Além disso, existiu exageradas isenções fiscais a grandes empresas, que inclusive deviam quantias exorbitantes em impostos ao Estado. A propósito, a Polícia Federal, na data de hoje (29/03) deflagrou mais uma operação “Quinto do Ouro”, que prendeu 5 conselheiros do Tribunal de Contas do Estado, além do presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, do PMDB, todos acusados de receberem propinas de empresas em troca das benesses fiscais ilegais, que contribuíram fundamentalmente para a falência daquele estado.

PS4. Teles Júnior cai em contradição grosseira: as notas dadas ao presidente golpista, 10,0 para as relações institucionais e 0,0 no quesito “ética”. Um presidente ilegítimo, com provas de ter recebido propinas de recursos desviados da nação, pode mexer nos direitos dos trabalhadores?.
___
Secretário do governo do AP defende reforma da previdência de Temer. Secretário do governo do AP defende reforma da previdência de Temer. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, março 29, 2017 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD