Header AD

Professora retorna à sala de aula três meses depois de ser afastada por denunciar falta de merenda escolar.

Professora da rede estadual de educação, Denise Moraes, retorna à sala de aula por força de liminar depois de mais de três meses afastada de suas funções por denunciar no Facebook a falta de merenda escola na Escola Santina Rioli.


---‘Agradeço de toda minha alma a JUSTIÇA DO AMAPÁ!!!A saga que o governo armou contra mim já está chegando ao fim. glória a DEUS!’--- desabafa aliviada após decisão de juiz obrigando retorno imediato ao educandário.

Na nota de agradecimento, alfineta o governo do Amapá. “Tudo começou por causa de um simples desabafo que fiz aqui na minha página do facebook contra esse maldito governo”.

Denise Moraes diz ainda que “por conta da falta da merenda, fiz um desabafo, não citei nome de nenhum diretor e muito menos de professor, mas a carapuça coube em meu gestor e o mesmo usou de arbitrariedade para me punir, me afastou de minhas atividades, deixando-me 90 dias sem trabalhar e sem assinar meu ponto...”.

---‘Ora, quem cometeu crime contra a criança foram eles, massacrando-as, deixando-as sem merenda até o último horário...’---, acusa.

Na liminar, juiz determina que a ela retorne ao trabalho nas mesmas condições de antes, determina também que assine as folhas de ponto desde o dia em que foi afastada, [ver aqui].

O caso.

Após críticas ao Governo do Amapá, a professora foi intimada pela Polícia Civil em outubro de 2016. Na época, alegou perseguição política e assédio moral por parte dos gestores da escola que a acusaram de atentado violento ao pudor por publicações na rede social Facebook.

“Estou sendo vítima de perseguição política, estou sozinha nessa e isso me deixa desnorteada, tenho meu Facebook há cinco anos e sempre postei fotos ousadas e só agora pq coloquei a realidade desse governo e o pacto que ele está tendo com diretores e professores eles se unem dizendo-se preocupados com nossas crianças?”, disse à época dos acontecimentos.

Segundo a docente, a direção da escola usou fotos publicadas na rede social como pretexto para afastá-la de suas funções, porém o real motivo teria sido denúncias que fez sobre alunos serem liberados mais cedo devido à falta de merenda.

Em outra crítica contundente, insinuava que a intimação da Polícia Civil seria uma trama para tentar calar suas críticas. “Lutar por uma educação de qualidade virou crime, liberdade de expressão saiu da constituição, o dinheiro da merenda sumiu, a prestação de contas das escolas foram roubadas da SEED , alunos estão sendo obrigados a estudarem de barriga vazia até o último horário e a única criminosa é Denise Moraes?”, ver detalhes do caso, aqui.


___
Professora retorna à sala de aula três meses depois de ser afastada por denunciar falta de merenda escolar. Professora retorna à sala de aula três meses depois de ser afastada por denunciar falta de merenda escolar. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, março 07, 2017 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD