Header AD

Continua luta pela vida da 'centerária' da rua Iracema Carvão Nunes.

No último domingo, 20, entidades da sociedade civil realizaram ato a favor da manutenção da árvore centenária localizada na Avenida Iracema Carvão Nunes, no Centro de Macapá. A luta pela vida dela foi parar na Justiça, depois que o dono do terreno pediu o corte da centenária aos órgãos do estado para uso comercial da área. Memorial Amapá pede perícia técnica para determinar o real estado de saúde da árvore.


A árvore localiza-se próximo ao terreno onde funciona a Escola Estadual Barão do Rio Branco. Planta típica do cerrado, a faveira tem mais de cem anos e é tombada como patrimônio imaterial de Macapá. Ela tem longos galhos e troncos grossos, além proporcionar vasta sombra.

Do Memorial Amapá.

MEMORIAL AMAPÁ PEDE PERICIA TÉCNICA PARA DETERMINAR O REAL ESTADO DE SAUDE DA FAVEIRA DA AV. IRACEMA CARVÃO NUNES.

Tombada como Patrimônio do Estado, em 24 de fevereiro de 1994, pelo governador Aníbal Barcellos, a árvore corre o risco de ser suprimida.

Varias tentativas já foram feitas.

No dia primeiro de dezembro de 2014, a Procuradoria da Fazenda Nacional no Estado do Amapá solicitou ao IMAP – Instituto do Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Estado do Amapá a inspeção e emissão de laudo técnico, “visando uma melhor solução a ser adotada em prol da comunidade”.

No dia 19 de janeiro, o mesmo oficio foi enviado para a SEMAM, secretaria Municipal do Meio Ambiente.

O Laudo do IMAP, baseado em fotos fornecidas pela órgão que quer a retirada da Faveira, foi favorável a eliminação da árvore.

Já o laudo da SEMAM, após uma vistoria no local, contestou o IMAP e recomendou uma poda corretiva acompanhada de um técnico para que “se aproxime a isometria da copa da árvore e a retirada de galhos que apresentam apodrecimento, eliminar ramos mortos, danificados, doentes ou praguejados, remover partes da árvore que colocam em risco a segurança e repare o que interfere ou causam danos incontornáveis às edificações e equipamentos urbanos”.

Não satisfeita, a Procuradoria da Fazenda Nacional pediu um novo laudo, desta vez para a SEMA, Secretaria de Estado do Meio Ambiente. O órgão expediu um documento mais detalhado do que o do IMAP, porem sem utilizar os recursos técnicos necessários para uma análise mais precisa. O laudo da SEMA foi favorável a eliminação do patrimônio tombado.

O Memorial Amapá consultou quatro especialistas: o engenheiro MARCO CHAGAS, doutor em gestão ambiental; o biólogo BENEDITO RABELO; o engenheiro florestal ALCIONE CAVALCANTE e o biólogo ANTÔNIO CARLOS FARIAS. A recomendação é que seja feita uma pericia técnica na Faveira incluindo:

1 - Tomografia e prospecção interna para verificar deteriorações ou cavidades na árvore.

2 - Análise volumétrica para verificar se o peso da árvore está bem distribuído.

3 - Análise do quanto foi cavado para construção do muro ao lado afim de averiguar se houve dano as raizes.

O Memorial Amapá defende que a retirada da árvore seja o último recurso, esgotados todos os outros para manter vivo esse patrimônio, à exemplo do que foi feito com a Samaumeira em frente ao Ministério Público Estadual, motivo de orgulho para quem ama a natureza.
 ___
Continua luta pela vida da 'centerária' da rua Iracema Carvão Nunes. Continua luta pela vida da 'centerária' da rua Iracema Carvão Nunes. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, novembro 23, 2016 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD