Header AD

Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista.

Hélio Nogueira publicou post nas redes sociais, nesta sexta-feira (7), no qual informa que as lideranças que apoiam o candidato Gilvam Borges, do PMDB, entre eles, Waldez Góes, José Sarney e Roberto Góes, estão articulando reeditar antiga “harmonia”  — aliança política entre os poderes que vigorou entre 2003 a 2010, e acabou desarticulado pela operação Mãos Limpas da Polícia Federal.


 — ‘Políticos têm estado na sede do governo paralelo, no bairro Buritizal, a convite do candidato à prefeito, Gilvam Borges, do atual governador Waldez Góes, do ex-senador José Sarney, do coordenador da campanha Roberto Góes’  — diz Nogueira.

Ele assegura que o grupo político que tenta fazer Gilvam prefeito de Macapá quer a qualquer preço, virar o difícil jogo político das eleições municipais contra Clécio Luís. O atual prefeito teve considerada vantagem de cerca de 40 mil votos sobre o segundo colocado.

Segundo Hélio Nogueira. o deputado federal Vinícius Gurgel, por exemplo, foi convidado por Gilvam sob promessas vantajosas, que qualquer sujeito, com o mínimo de bom senso, desconfia. "Eu e meu grupo já amarramos com Clécio Luis Vieira. Quanto a vereadora Aline Gurgel, eu nada posso dizer. Ela é quem decide pra onde quer ir", teria dito taxativamente o deputado.

Para o radialista Heverson Castro, “Gilvam reúne as forças política mais atrasadas do Amapá para tentar uma vitória no segundo turno”.

Heverson Castro (HC) enumera as complicações dos principais apoiadores de Gilvam.

1 - Waldez Góes, preso na operação Mãos Limpas, está conduzindo o Amapá ao Estado de Calamidade Pública;
2 - Moisés Souza, no olho do furacão da Operação Eclésia, já está condenado pelo Tjap por desviar dinheiro público;
3 - José Sarney, acusado pela Lava Jato pelo desvio de R$16 milhões da Petrobras;
4 - Roberto Góes, preso na operação Mãos Limpas, responde a processo no STF;
5 - Gilvam Borges, dono do maior grupo de comunicação do Amapá, se vale de laranjas para transitar em setores federais e estaduais, sempre na sombra de Sarney. O caso do desvio de remédios dos índios da Funasa é o mais emblemático.

“Esse é o grupo que quer governar o município de Macapá”, afirma HC.



O espaço está aberto para citados nesta matéria, caso queiram se manifestar.
___
Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista. Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, outubro 08, 2016 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD