Header AD

Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista.

Hélio Nogueira publicou post nas redes sociais, nesta sexta-feira (7), no qual informa que as lideranças que apoiam o candidato Gilvam Borges, do PMDB, entre eles, Waldez Góes, José Sarney e Roberto Góes, estão articulando reeditar antiga “harmonia”  — aliança política entre os poderes que vigorou entre 2003 a 2010, e acabou desarticulado pela operação Mãos Limpas da Polícia Federal.


 — ‘Políticos têm estado na sede do governo paralelo, no bairro Buritizal, a convite do candidato à prefeito, Gilvam Borges, do atual governador Waldez Góes, do ex-senador José Sarney, do coordenador da campanha Roberto Góes’  — diz Nogueira.

Ele assegura que o grupo político que tenta fazer Gilvam prefeito de Macapá quer a qualquer preço, virar o difícil jogo político das eleições municipais contra Clécio Luís. O atual prefeito teve considerada vantagem de cerca de 40 mil votos sobre o segundo colocado.

Segundo Hélio Nogueira. o deputado federal Vinícius Gurgel, por exemplo, foi convidado por Gilvam sob promessas vantajosas, que qualquer sujeito, com o mínimo de bom senso, desconfia. "Eu e meu grupo já amarramos com Clécio Luis Vieira. Quanto a vereadora Aline Gurgel, eu nada posso dizer. Ela é quem decide pra onde quer ir", teria dito taxativamente o deputado.

Para o radialista Heverson Castro, “Gilvam reúne as forças política mais atrasadas do Amapá para tentar uma vitória no segundo turno”.

Heverson Castro (HC) enumera as complicações dos principais apoiadores de Gilvam.

1 - Waldez Góes, preso na operação Mãos Limpas, está conduzindo o Amapá ao Estado de Calamidade Pública;
2 - Moisés Souza, no olho do furacão da Operação Eclésia, já está condenado pelo Tjap por desviar dinheiro público;
3 - José Sarney, acusado pela Lava Jato pelo desvio de R$16 milhões da Petrobras;
4 - Roberto Góes, preso na operação Mãos Limpas, responde a processo no STF;
5 - Gilvam Borges, dono do maior grupo de comunicação do Amapá, se vale de laranjas para transitar em setores federais e estaduais, sempre na sombra de Sarney. O caso do desvio de remédios dos índios da Funasa é o mais emblemático.

“Esse é o grupo que quer governar o município de Macapá”, afirma HC.



O espaço está aberto para citados nesta matéria, caso queiram se manifestar.
___
Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista. Grupo político oferece o que tem e o que não tem na busca desesperada de apoio no 2º turno, diz jornalista. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, outubro 08, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD