Header AD

Folha: Clécio Luis tem campanha bancada pelo DEM em Macapá.

De acordo com reportagem do portal do Universo On Line (UOL) do grupo Folha, principal aposta do partido de Marina Silva nas eleições deste ano, o prefeito de Macapá e candidato a reeleição Clécio Luis (Rede) tem 95% da sua campanha bancada pelo Democratas.


Do Uol.

Clécio disputa as eleições numa aliança de sete partidos que inclui DEM, PSDB e PCdoB e tem como candidata a vice a vereadora Telma Nery (DEM). Teve 44,59% dos votos no primeiro turno contra 26,37% de Gilvam Borges (PMDB).

Criada em 2015 sob o lema de uma "nova política", a Rede Sustentabilidade estreou nas urnas este ano com alianças do DEM ao PSOL e elegeu cinco prefeitos no primeiro turno. Além de Macapá, disputa o segundo turno em Serra (ES) e Ponta Grossa (PR).

Ao todo, o candidato Clécio arrecadou R$ 1,27 milhão para campanha em Macapá, sendo que R$ 1,22 milhão veio do diretório nacional do DEM.

Mesmo não sendo do partido, Clécio foi o segundo candidato que mais recebeu recursos do DEM, só perdendo para o prefeito reeleito de Salvador, ACM Neto.

O repasse de R$ 1,22 milhão é superior ao doado para as campanhas de Priscila Krause, que ficou em quarto lugar no Recife e João Alves Filho, que disputou a reeleição em Aracaju e não foi ao segundo turno.

Presidente nacional do Democratas, José Agripino Maia justifica a doação afirmando que a eleição de Clécio na capital é fundamental para planos do partido, que pretende lançar o senador Davi Alcolumbre (DEM) candidato ao governo do Amapá em 2018.

"Temos um projeto consolidado de lançar Davi Alcolumbre governador e o prefeito Clécio será um aliado importante. Por isso, demos esse apoio", afirma Maia.

O prefeito e o senador são aliados desde 2012, quando Alcolumbre apoiou no segundo turno a candidatura de Clécio, que na época era filiado ao PSOL. Em retribuição, o prefeito apoiou Alcolumbre para o Senado em 2014. Ambos são adversários do governador Waldez Góes (PDT).

SEM DESCONFORTO

À Folha, Clécio diz que não há nenhum desconforto em ter sua campanha quase integralmente bancada por outro partido.

"Estávamos precisando de dinheiro para a campanha e o Democratas resolveu ajudar. Foi uma doação legal, vinda de um aliado. Não há constrangimento isso", afirma Clécio.

A aliança e o apoio financeiro do DEM, contudo, fez com que PT e PSB se afastassem do prefeito. Os dois partidos, que apoiaram Clécio em seu primeiro mandato, declararam neutralidade no segundo turno.

"Está claro que o prefeito está embarcando em um projeto para 2018 no qual não vemos nenhum benefício para o Amapá. Por isso, decidimos não apoiá-lo", afirma Valério Tavares, presidente do PT em Macapá.

Em nota, o PSB afirma que o prefeito "governa com práticas reacionárias aliado a partidos conservadores".

Clécio diz que respeita a posição de PT e PSB e vai buscar o apoio dos eleitores que votaram nos candidatos dos dois partidos no primeiro turno.

Porta-voz nacional da Rede, José Gustavo afirma que a coligação do DEM no Amapá é resultado de uma circunstância específica, de oposição ao grupo do governador Waldez Góes e do ex-senador José Sarney (PMDB).

E diz que não vê problemas nas doações feitas pelo DEM em Macapá: "A Rede é um partido que, estruturalmente, ainda está em desenvolvimento e tem poucos recursos".

Segundo José Gustavo, a Rede Sustentabilidade recebe cerca de R$ 400 mil mensais do fundo partidário.

GASTO COM COMBUSTÍVEL

Com arrecadação de R$ 1,27 milhão na campanha, Clécio registrou gastos de R$ 991 mil, segundo declaração parcial feita ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Deste total, R$ 150 mil foi gasto em combustíveis na rede de postos Salomão Alcolumbre, de propriedade de primos do senador Davi Alcolumbre.

Clécio afirma que não há ilegalidade no gasto e diz que a família Alcolumbre é dona de vários postos de gasolina no Amapá.

"Seria estranho se a gente comprasse em postos que são fornecedores da prefeitura. Não é o caso", afirma.

O prefeito ainda destaca que um dos sócios do posto, Salomão Alcolumbre Júnior, apoia o grupo político adversário e foi candidato a suplente de senador de Gilvan Borges (PMDB) em 2014, mas acabou derrotado por Davi Alcolumbre.
___
Folha: Clécio Luis tem campanha bancada pelo DEM em Macapá. Folha: Clécio Luis tem campanha bancada pelo DEM em Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, outubro 19, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD