Header AD

Coligação de Gilvan recorre à justiça contra postagem de professor nas redes sociais.

A coligação "Atitude e Trabalho por Macapá", recorreu a justiça contra o professor Emerson Ramos de Souza e a rede social Facebook, requerendo a retirada do ar de uma postagem de autoria do educador, sobre as razões para não votar no candidato peemedebista a prefeitura de Macapá.


O professor retirou a publicação do ar, porém decidiu emitir uma nota aberta aos seguidores dele na rede social Facebook, protestando contra a censura da coligação de Gilvam Borges.

Leia a Nota

NOTA DE ESCLARECIMENTO
É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença (Artigo 5º, inciso IX da constituição). Quero esclarecer que diante dos fatos ocorridos, atendi a ordem judicial e retirei minhas postagem que declaravam meus motivos de não votar no candidato Gilvan, porém quero fazer algumas considerações.
As alegações dos advogados do candidato dizem que feri sua honra com minhas postagens, dizem que são citações criminosas, dizem que o fiz a mando de alguém, dizem que foram motivadas por conta de um contrato, mas o pior dizem que são recheadas de uma visão esquerdista e comunista e que, pelo fato de ser professor acabo por formar opinião que divergem do interesse da educação.
Atendi a decisão judicial. Irei recorrer. Sim irei recorrer, não cabe nessa sociedade em que vivemos a censura, a tentativa de calar o cidadão em declarar sua decisão de votante. É essa sociedade que quero combater, essa que tenta amordaçar aqueles que ainda tem coragem de expor sua opinião. Lamento tal situação que me coloca como subversivo, contraventor e criminaliza minha expressão.
Na minha avaliação não houve qualquer citação ofensiva ao candidato (se assim o entendeu, peço desculpas, pois há um fosso entre o que eu digo e que você entende), só coloquei minha opinião e pedi ao candidato ou seus apoiadores que fizessem um texto contrapondo meus argumentos. Será que não há ninguém capaz de dialogar de forma saudável comigo a respeito do cenário político? Segui as orientações da propaganda da tigre (usei “palavrões fofinhos”). Nobre candidato minha intenção foi expor meus motivos de não votar no senhor, poderia ser sabiamente resolvido se alguém do seu apoio fizesse um texto expondo o contrário. E não sei por que partiu de sua coligação essa ação judicial contra mim, haja vista, em seu sistema de rádio difusão o senhor atacar e fazer falas contra seus adversários. Será que eles já esqueceram que o senhor se referia a uns certos candidatos como “jacamim pai e jacamim filho”?
Além da ação tem-se os comentários com tom de ameaça de alguns apoiadores em rede social. Fico exageradamente entristecido pq quanto mais se fala em democracia menos democráticos nos mostramos. Atendi a justiça, mas não mudei meu posicionamento e quero agradecer as centenas de companheiros que lançaram apoio. Quando não se tem argumentos o melhor caminho é silenciar o autor. Todo respeito ao senhor, mas poderíamos resolver isso num debate entre eu e você. Eu sou um anônimo que só quis exercer seu direito de expressão. Por que calar Emerson Ramos?
.
Professor Emerson Ramos.


Coligação de Gilvan recorre à justiça contra postagem de professor nas redes sociais. Coligação de Gilvan recorre à justiça contra postagem de professor nas redes sociais. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, outubro 17, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD