Header AD

Após críticas ao Governo do Amapá, professora é intimada pela Polícia Civil.

A pedagoga e professora da rede estadual de educação, Denise Moraes, denuncia que é vítima de perseguição política e assédio moral por parte dos gestores da escola em que trabalha em Macapá. A docente utilizou a rede social Facebook nesta terça-feira (25) para denunciar represália depois de proferir críticas aos gestores da escola e ao governo do estado; ela foi acusada de atentado violento ao pudor.


Ela afirma que costumeiramente posta fotos “ousadas” na rede social Facebook e somente em uma delas, em que acompanha críticas ao governo do Amapá e a direção da escola em que trabalha, é que veio a reação.

 —- ‘Estou sendo vítima de perseguição política, estou sozinha nessa e isso me deixa desnorteada, tenho meu Facebook há cinco anos e sempre postei fotos ousadas e só agora pq coloquei a realidade desse governo e o pacto que ele está tendo com diretores e professores eles se unem dizendo-se preocupados com nossas crianças?’ — escreveu na rede social.

Em outra crítica pede que não votem no candidato do governador Waldez Góes (PDT) “Nossos alunos estão sendo massacrados, isso pq eles são o futuro da nação, o silêncio dos educadores coloca em evidência nossa dignidade e esse pacto maldito me revolta. Diante de prova não se argumenta. Por favor!!! Não votem no candidato do governo!!!!”

Em outro post, Denise Moraes insinua que a intimação da Polícia Civil é uma trama para tentar calar suas críticas. “Lutar por uma educação de qualidade virou crime, liberdade de expressão saíu da constituição, o dinheiro da merenda sumiu, a prestação de contas das escolas foram roubadas da SEED , alunos estão sendo obrigados a estudarem de barriga vazia até o último horário e a única criminosa é Denise Moraes?”, questiona.

Ela acredita que pessoas estão sendo “usadas” para tentar incriminá-la. “Só quero alertar a essa pessoa que está sendo usada nessa trama inescrupulosa, que falso testemunho é crime. Desejo que a autoridade que vai me ouvir, possa estar munida de provas e argumentações fundamentadas para fazer valer tamanho constrangimento”.

A professora foi intimada pela Delegacia de Repressão Contra a Criança e Adolescente a comparecer em audiência nesta terça-feira (25), porém, devido a problemas de saúde, foi adiada para manhã desta quarta-feira (26).

Crítica que teria provocado intimação.
Você me acha imoral? Imagina! Imoral é um diretor de escola massacrar o aluno o deixando das 7: 30 até 12hs sem alimento, para encobrir as irresponsabilidades do Estado, merenda escolar é o direito do aluno... Imoral é saber que um educador compactua com essa atitude arbitrária, sabendo que temos alunos que saem de suas casas sem nem ao menos tomar café da manhã. ...imoral é ver nossos direitos sendo burlados e a categoria calada, nossas escolas sendo invadidas, roubadas e nada acontece…E vcs ficam se preocupando com a vida de Denise Moraes? Não se preocupem, Denise Moraes é apenas pó....Um dia vcs entenderão tudo isso. Viva outubro rosa!!!


___
Após críticas ao Governo do Amapá, professora é intimada pela Polícia Civil. Após críticas ao Governo do Amapá, professora é intimada pela Polícia Civil. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, outubro 26, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD