Header AD

Juiz Eleitoral expede liminar que proíbe bandeiradas e carreatas irregulares em Macapá.

O Juiz Eleitoral da 2ª Zona Eleitoral de Macapá, Adão Carvalho, responsável pela fiscalização da propaganda eleitoral, decidiu pela proibição da realização de passeatas, carreatas, bandeiradas e passeios ciclísticos em desacordo com as regras eleitorais a partir deste sábado (17), na capital amapaense. As informações são do TRE/Ap.

Foto: Asscom-TRE.
A decisão se deu pela verificação de forma reiterada, de prática de propaganda irregular, efetuadas praticamente por todas as coligações e partidos políticos da cidade, com base no artigo 96 da Lei nº 9.504/97 c/c § 2º do art. 300 do NCPC.

A decisão liminar é resultado da Representação Eleitoral N° 213-51.2016.6.03.0002, interposta pelo Ministério Público Eleitoral (MPE). A proibição se dará diante da não comunicação prévia, de no mínimo 24h, com local e hora da manifestação, ao Cartório da 2ª Zona Eleitoral. O não cumprimento ensejará multa aos partidos, coligações e seus representantes no valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) para cada evento, aplicando-se subsidiariamente os artigos 297 e 536, §1º, do NCPC, c/c § 2º do art. 88 da Resolução TSE nº 23.457/2015, sem prejuízo de posterior majoração e cumulação por crime de desobediência (Código Eleitoral, art. 347).

Foram representadas todas as coligações que disputam os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito. São elas: “MACAPÁ DE TODOS NÓS”; “PRA MACAPÁ SEGUIR AVANÇANDO”; "COLIGAÇÃO É MAIS MACAPÁ”; “ATITUTE E TRABALHO POR MACAPÁ”; “MACAPÁ DA ESPERANÇA”, assim como para o PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO e PARTIDO SOCIALISTA DOS TRABALHADORES UNIFICADOS.

Pelo mesmo motivo, o juiz Adão Carvalho também proibiu as mesmas manifestações partidárias para os candidatos a vereador em Macapá nas Eleições Municipais 2016. A proibição vale para “A FORÇA DO NOSSO POVO”; “AVANÇA MACAPÁ”; “COMPROMISSO COM VOCÊ”; “DEMOCRACIA E SUSTENTABILIDADE”; “JUNTOS VAMOS RENOVAR MACAPÁ”; “JUNTOS, PRA MACAPÁ SEGUIR EM FRENTE”; “MACAPÁ DA ESPERANÇA”; “UNIDADE POPULAR”; “UNIÃO E TRABALHO POR MACAPÁ”; “É MAIS MACAPÁ”. Assim como para o PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO; PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO e PARTIDO SOCIALISTA DOS TRABALHADORES UNIFICADO.

Na decisão, Doutor Adão Carvalho explica os motivos da proibição:

“Com base em fiscalização realizada pelo MPE, TRE-AP, com apoio tático da Polícia Militar e do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual, no dia 11/09/2016, das 17h30mim às 20h00, em toda a extensão da orla da Macapá, foi verificada e a presença de incontáveis apoiadores de campanha de diversos candidatos realizando manifestações denominadas de “bandeiradas”, o que teria se repetido no feriado do dia 13/09/2016, das 17h00 às 19h00.

Nestas manifestações, os participantes ocuparam toda a extensão das calçadas públicas, obstruindo, assim, a livre circulação da população, que utiliza do local, inclusive, para lazer e prática de esportes. Além disso, muitos dos participantes, antes, durante e depois dos atos de propaganda eleitoral, estavam se embriagando, formando aglomerações tendentes à desordem e à algazarra. Ainda foi constatado o uso de carros de som e bandas de instrumentos acústicos, causando dificuldade na circulação de veículos e transeuntes, e que, com o término das bandeiradas, a orla da cidade amanheceu suja, em virtude do lixo que foi deixado”.

O juiz disse ainda que a propaganda eleitoral é regida por princípios jurídicos, dentre os quais o da liberdade, do qual advém a regra de que apenas em caráter excepcional deve ocorrer intervenção. É certo, todavia, que a própria Lei nº 9.504/97, no seu art. 41, § 2º, primeira parte, concede poder de polícia à Justiça Eleitoral para adoção das providências necessárias a inibir práticas ilegais, dado que citado direito não tem caráter absoluto.

“Pelos motivos expostos, defiro parcialmente o pedido liminar para determinar que os REPRESENTADOS não mais realizem bandeiradas, caminhadas, carreatas e demais formas de reuniões coletivas nos locais e sem comunicação prévia ao, ao Comando da Polícia Militar e à Guarda Municipal, com antecedência mínima de 24 (vinte e quatro) horas, indicando expressamente o dia, horário e itinerário, a fim de garantir a segurança do respectivo evento”.
__
Juiz Eleitoral expede liminar que proíbe bandeiradas e carreatas irregulares em Macapá. Juiz Eleitoral expede liminar que proíbe bandeiradas e carreatas irregulares em Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, setembro 17, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD