Header AD

TRE cassa mandato de deputada e multa prefeito de Santana.

O Tribunal Eleitoral do Amapá cassa mandato da deputada estadual, Mira Rocha e aplica multa ao prefeito de Santana, Robson Rocha. Decisão é desta noite de quarta-feira (31).


Paulo Silva, do Diário do Amapá.

Em sessão realizada na noite desta quarta-feira (31/8), o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) cassou o diploma, e consequentemente o mandato, da deputada estadual Mira Rocha (PTB) e ainda aplicou a ela multa de R$ 53 mil. Robson Rocha (PR), prefeito de Santana e irmão da deputada foi multado em R$ 53 mil. A deputada Mira Rocha teve o mandato cassado com base no artigo 41-A. acusada da prática de captação ilícita de sufrágio (compra de voto).
Foi aplicada multa de R$ 20 mil a Antônio Gilberto Souza Paiva, então coordenador da Casa da Juventude de Santana. A decisão foi por quatro votos a dois, vencidos os juízes Jucélio Neto e Décio Rufino.
Na mesma sessão foram julgadas improcedentes as ações contra o deputado federal Marcos Reátegui (PSD-AP) e contra o ex-prefeito de Santana Rosemiro Rocha, pai de Robson e Mira Rocha. A relatora dos processos foi a desembargadora Stella Ramos.
As ações julgadas eram de autoria da Procuradoria Regional Eleitoral no Amapá (PRE/AP) e tinham também como interessados Haroldo Abdon (suplente de Mira Rocha) e Patrícia Ferraz (suplente de Marcos Reátegui). Eram duas ações de investigação judicial eleitoral e quatro representações.
Robson Rocha, Mira Rocha, e Marcos Reategui eram acusados de compra de votos, abuso de poder econômico e conduta vedada. Nas ações ajuizadas, a Procuradoria Regional Eleitoral também processou, pelos mesmos ilícitos, o então coordenador da Casa da Juventude de Santana, Gilberto Paiva além de Rosemiro Rocha.
Nos documentos apresentados, a Procuradoria Regional Eeleitoral relatou que o prefeito contratava pessoal para trabalhar em órgãos do município com a condição de que nas eleições votassem em Mira Rocha e em Marcos Reategui. Para isso, demitiu sem justa causa servidores temporários que não apoiavam os candidatos indicados. As demissões ocorreram em período proibido pela legislação eleitoral, o que configura conduta vedada.
Segundo depoimentos, nos meses que antecederam as eleições, os irmãos Robson e Mira Rocha, com participação de Antônio Gilberto Souza Paiva, convocaram servidores temporários e comissionados da prefeitura de Santana para participar de reuniões políticas. Eles teriam prometido aos eleitores a continuidade do vínculo empregatício desde que votassem nos candidatos apoiados pelo prefeito: Mira Rocha e Marcos Reategui. A prática, segundo a PRE, denotou abuso do poder político e econômico.
___
TRE cassa mandato de deputada e multa prefeito de Santana. TRE cassa mandato de deputada e multa prefeito de Santana. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, agosto 31, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD