Header AD

Secretário reconhece que há aumento da violência no AP em governo do PDT.

Gastão Calandrini, Secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), disse que houve aumento da violência no estado durante o governo do pedetista Waldez Góes. Ele falou em entrevista ao programa do jornalista Carlos Lobato, do Tribuna da Cidade (94,5FM), na última terça-feira (2).


Clandrini respondia a questionamentos do apresentador Silvio Souza, que enumerava os casos dramáticos de violência no Estado.

As respostas do secretário foram elucidativas para se compreender a onda de violência em Macapá.
Ele apresentou dados da SEJUSP que comprovam altos índices de assaltos e homicídios.

 — ‘As mortes violentas aumentaram 7% em relação a 2015’, disse em comparação a casos do ano passado, com este ano, apesar de a leitura dos dados se referirem até início de agosto de 2016.

Ele deu ainda dados precisos em relação a mortes violentas.

 —‘No ano passado tivemos 303 mortes, incluindo homicídios cometidos com armas de fogo, enquanto que até agora [primeiro de agosto de 2016], houveram 324 mortes violentas’, esclareceu.

Os dados apresentados pelo secretário podem decorrer do aumento da desigualdade social, visto que o Estado do Amapá alcançou segunda maior taxa de desemprego do país. Comércio e Setor de serviços estão em queda livre. Servidores com salário parcelado e sem reajuste. Vigilantes ficam até seis meses sem pagamento. Programa “Renda Para Viver Melhor” reduziu valor de benefício, além do corte de 70% do número dos beneficiários.

De acordo com observações do jornalista Márcio Roney, dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou a taxa 14,35% de pessoas desempregadas. O estado ocupa o segundo lugar no ranking brasileiro, atrás apenas da Bahia, onde o desemprego alcançou 15,5% da população economicamente ativa.

O fechamento de postos de trabalho no Amapá supera a média nacional, com uma larga vantagem. No Brasil, a taxa de desemprego não passou de 10,2%. Em comparação com 2015, o avanço do desemprego assusta. No primeiro trimestre do ano passado o percentual de pessoas sem emprego foi de 9,6%. Ou seja, a alta foi 4,7%, de um ano para o outro.

O comércio tem os piores índices do país. Em março deste ano, a redução das vendas no varejo foi de 22,1%, em comparação com o mesmo período do ano passado. A retração somente no primeiro trimestre de 2016 chega a R$ 21,5%. No acumulado dos últimos 12 meses o declínio é de 18,3%. O setor de serviços tem o segundo pior desempenho dentro todos os estados do Brasil. Neste ano, março teve queda de 15,3%. Em abril o recuo foi de 12,3%.

Esses dados podem aumentar a desigualdade social, que por sua vez, justificam os altos índices de homicídios apresentados pelo Secretário Gastão Calandrini, sobre aumento da violência no Estado.

O governo alega que os índices negativos em dados apresentados acima é "culpa" da crise econômica no país.

Leia: Acadêmico de Direito é morto em assalto, ele havia acabado de pagar mensalidade do curso.

Atualizado em 4-8-2016, às 00h05'.
___
Secretário reconhece que há aumento da violência no AP em governo do PDT. Secretário reconhece que há aumento da violência no AP em governo do PDT. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, agosto 04, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD