Header AD

Pacientes protestam contra falta de medicamentos e curativos no HE.

A Rua Hamilton Silva, onde o hospital está localizado, foi bloqueada por alguns instantes. Pacientes pedem que os poderes públicos olhem para a saúde. Cerca de 30 pessoas, entre pacientes e acompanhantes, fecharam a Rua Hamilton Silva na tarde desta quarta-feira (17), por volta das 14h. O objetivo era alertar para a falta de estrutura do Hospital de Emergência de Macapá.


Do JD.

[...]
Segundo os manifestantes faltam medicamentos e curativos, além disso, existe demora no atendimento e transferência. Eles disseram que também foram impedidos de sair do hospital para protestar.
José Maurício, que está internado faz duas semanas no HE, afirma que o protesto é pelo fato do hospital não ter direção ou qualquer pessoa que dê uma resposta aos pacientes.
“Nós nos reunimos e fomos lá [na administração do HE] e disseram que o hospital não tem direção. Eles não têm resposta alguma pra gente, pessoas estão há mais de 50 dias, dois meses e não há transferência, não há anestesia e não há previsão de vir anestesia”, pontuou.
Maurício também cobra um posicionamento dos poderes públicos. “Estamos chamando a atenção dos governos, seja de prefeito ou governador. Não há governo no Amapá, o secretário de saúde não está aqui, não veio ninguém aqui pra falar com a gente então decidimos protestar. A nossa última voz é a imprensa”, afirmou Maurício.
José Elito sofreu um acidente e quebrou a perna, ele está faz 20 dias esperando uma cirurgia. “No hospital dizem que tá faltando tudo, médico não opera porque não tem material. Eu estou aqui há 20 dias, mas eu olho para outros pacientes que estão com 58 dias, dois meses, o meu pavor é eu ficar que nem eles. Estou numa manifestação para ver o lado deles e o meu lado também, porque o hospital sempre diz que não tem nada”, pontuou.

José ainda acrescenta: “Esse governador quando quis se reeleger disse que tinha experiência suficiente para governar o Estado para não faltar dinheiro e disse que as prioridades dele era saúde e educação. O povo se iludiu de novo e caiu na conversa dele e ficamos desse jeito”, disse.
A filha de um dos pacientes reclama da demora na transferência. “Eu estou acompanhando meu pai que tem 63 anos e está aqui há um mês, ele tá com fêmur quebrado, com a perna pendurada e não tem ideia de quando vai ser transferidos porque aquela lista não anda e quando aparece leito só mandam as prioridades e os outros não tem vez”, afirmou a acompanhante que não quis se identificar.
De acordo com os pacientes, quando há necessidade de se utilizar medicamentos ou curativos, o paciente ou a família têm que arcar com os custos porque o hospital não está oferecendo esses materiais.
Um senhor de idade que também está internado no HE passou por essa situação. Ele precisou trocar o curativo do seu ferimento, para isso ele se deslocou até um posto de saúde que fica no bairro Novo Buritizal.
“Se eu quis fazer um curativo eu tive que ir ao Lélio Silva. Faz três dias que eu procuro curativo e não tem. Eu fui lá e voltei, só assim pra ter atendimento.”
Eles também fazem alguns questionamentos:
“O que é um hospital de emergências se pessoas ficam dois, três meses esperando para se transferir para esperar de novo? Eu queria saber se há um Ministério Público? Porque essas pessoas têm família, precisam trabalhar para o seu sustento”.
A equipe do Jornal do Dia procurou a assessoria do Hospital de Emergência, a qual disse que um representante da saúde estava se encaminhando ao hospital para falar com a imprensa e com os pacientes. A equipe aguardou e até o fechamento desta matéria nenhuma resposta foi dada.
__
Pacientes protestam contra falta de medicamentos e curativos no HE. Pacientes protestam contra falta de medicamentos e curativos no HE. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, agosto 18, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD