Header AD

Ex-secretário afirma que Aroldo Rabelo e conselheiros são os "grandes traidores!" da educação do AP.

O ex-secretário de Estado da Educação, professor Adalberto Ribeiro, publica texto na rede social Facebook, nesta sexta-feira (12), em que coloca sobre os ombros do atual presidente do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (SINSEPEAP), Aroldo Rabelo, responsabilidade pelo "descalabro" da educação no Amapá.



 — 'Lamentavelmente sou obrigado a dizer! O Presidente do SINSEPEAP e seus conselheiros – àqueles que comandam as greves – são os grandes TRAIDORES da educação amapaense. TRAIDORES! Um Presidente que não é mais legítimo há tempos. Seu mandato acabou e ele se mantém por liminar judicial e assim vai ficar enquanto a categoria não botá-lo de lá para correr', escreveu Ribeiro, indignado.

Leia a íntegra.

INDIGNADO: O CAOS NA EDUCAÇÃO E A VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

Quero pedir licença aos amigo@s para falar com a indignação de cidadão que ainda não perdi graças a Deus! Como professor da UNIFAP, pesquisador, formador de professores e como ex Secretário de Educação do Amapá. E QUERO RESPONSABILIZAR DIRETAMENTE (com muita tristeza!) alguns sujeitos protagonistas da educação pública amapaense já a algum tempo.

O que está acontecendo na educação aqui no nosso estado é algo sem precedentes. É uma “lasqueira”! Amanheci hoje, como todos nós, acessando os grupos de what e tomando pé dos acontecimentos diversos. Veio o post da estatística de escolas públicas arrombadas e furtadas nos últimos dias. Além de depoimentos de dezenas de professores que estão absolutamente inseguros em suas funções laborais, especialmente os que trabalham no turno da noite. As últimas estatísticas indicam 13 unidades escolares furtadas e já tem uma delas que a bandidagem já repetiu o ato: arrombou e furtou de novo. A causa principal foi a não renovação dos contratos da vigilância com o desemprego de mais de 1.000 pais de famílias, segundo os comentários na mídia. Vejam o rol das escolas furtadas no Amapá em menos de dez dias:

1- General Carrombert; 2- Deuzuite Cavalcante; 3- Dom Jose Maritano; 4- Maria do Carmo; 5- Ruth Bezerra; 6- Everaldo Vasconcelos; 7- Elizabeth Picanço Esteves; 8- Maria Mãe de Deus; 9- Alberto Santos Dumont; 10- Maria Meriam; 11- Igarapé das Armas; 12- Serafini Costaperaria; 13- José de Anchieta; e......

Obviamente que o Governo da HARMONIA sabe o que está fazendo e não vai cortar onde não pode cortar. Tem seus compromissos maiores. E a corda arrebenta no lado dos mais fracos, neste momento, dos vigilantes, dos terceirizados, com desemprego; do funcionalismo público efetivo com parcelamentos e atrasos salariais. Portanto, o governo da HARMONIA é o grande “batonnier” desse descalabro. Mas, não somente! Em se tratando do que está acontecendo na educação amapaense tem autoridades conhecidas que são muito responsáveis por todo esse processo degradante pelo qual passa nosso sistema de ensino. Me refiro ao Sr. Presidente do Sindicato dos Professores/SINSEPEAP.
Este senhor deveria, imediatamente, vir a público e pedir perdão a toda a categoria. Deveria ir de escola em escola e se desculpar com cada professor pelo o que ele e seu pequeno grupo de conselheiros vêm fazendo com a categoria e colaborando para o desmantelo da educação amapaense. No mínimo!

Este senhor tem que ser responsabilizado por que sua função não é uma qualquer. É a presidência do maior e mais importante sindicato do Estado do Amapá: o Sindicatos dos Professores. Não é pouca coisa. É enorme a responsabilidade de quem assume essa função.

Ele e seus conselheiros – àqueles que se dizem do comando das greves – só estão fazendo bobagens à frente do SINSEPEAP. E não é razoável que estejam ANESTESIADOS diante do que acontece no presente momento. Neste momento está em jogo a segurança, e em alguns casos, a vida dos colegas professores. Não há vigilantes nas escolas e a onda de insegurança chegou a níveis inaceitáveis. Se como sindicalistas não são solidários aos trabalhadores da vigilância, paciência! Agora, calar diante do iminente risco de violência que sofrem os colegas professores, aí é demais. Não se sentir responsável, no direito e obrigação de gritar diante do presente quadro pressionando quem de direito para minimizar o medo que tomou conta de professores, alunos e comunidade escolar, aí é omissão e covardia.

A categoria espera que o seu Presidente grite e a represente. Se o Presidente não grita e não age a categoria fica órfã. É como os professores estão hoje no Estado do Amapá. Tem um Presidente fraco! Omisso! Calado!

O senhor aqui me refiro se abraçou na última campanha eleitoral com o governo da HARMONIA e é claro que sua posição influencia a categoria, como influenciou. Uma decisão de apontar o caminho do voto, mas para o pior voto possível.

Um líder que jogou fora o maior aumento que a categoria poderia ter recebido (e que eu não vejo quando surgirá outra oportunidade para um aumento naqueles patamares! O MAIOR ERRO HISTÓRICO DE UM SINDICATO.), que não aceitou a eleição direta para diretores de unidades escolares (A GESTÃO DMOCRÁTICA) e que ajudou a eleger o pior dos piores modelos de gestão que se tem para o Estado do Amapá. Hoje todos nós sofremos. Todos.

A inconsequência e a irresponsabilidade de “lideres” sindicais dessa estirpe levam a erros cujas sequelas negativas são incalculáveis. Não sabemos o quanto o sistema educacional amapaense demorará para se recuperar. E ainda falta merenda nas escolas com aulas de 30 minutos. Que tipo de educação estão recebendo os filhos das massas trabalhadoras estudantes das escolas públicas? Ontem, dia 11/08, Dia do Estudante a Secretaria de Estado da Educação estava sem comando. Este fato é simbólico, e “sui generis”. No Dia do Estudante, sem o gestor maior, sem merenda, sem segurança...

O Sr. Presidente do SINSEPEAP e seus conselheiros do comando das greves são, também, os grandes responsáveis pela falta de rumo que se encontra a educação amapaense. Eles não podem agora fingir que nada está acontecendo.

Lamentavelmente sou obrigado a dizer! O Presidente do SINSEPEAP e seus conselheiros – àqueles que comandam as greves – são os grandes TRAIDORES da educação amapaense. TRAIDORES! Um Presidente que não é mais legítimo há tempos. Seu mandato acabou e ele se mantém por liminar judicial e assim vai ficar enquanto a categoria não botá-lo de lá para correr.

É a pior gestão de todos os tempos do SINSEPEAP. Superaram a anterior, por incrível que pareça. OS VERDADEIROS TRAIDORES DA EDUCAÇÃO. Estão acabando com o sistema público de ensino no Amapá e eles não dizem nada. São responsáveis sim! São culpados sim pelo o que está acontecendo. PÊLEGOS!

Para mim é muito difícil dizer isso. Muito difícil mesmo porque o sindicato é a última trincheira de defesa da categoria e de uma educação de qualidade. Entretanto, sendo o processo pedagógico, certamente que a presente situação não é “ad eternum”.

Ficam aqui, portanto, meus protestos e minha indignação. É bom se expor, especialmente, em momentos tão graves. A educação pública é das massas trabalhadoras. Não vamos avançar se não defendermos um dos bens públicos mais importantes do povo. E temos o direito, e a obrigação, de criticar as autoridades que tem papel central de fazer a gestão da educação, assim como de cobrar a postura adequada de quem se diz sindicalistas educacionais.


Adalberto C. Ribeiro
Pesquisador e Prof. Sociologia da Educação/UNIFAP
Ex Secretário Estadual de Educação/2012.
__
Ex-secretário afirma que Aroldo Rabelo e conselheiros são os "grandes traidores!" da educação do AP. Ex-secretário afirma que Aroldo Rabelo e conselheiros são os "grandes traidores!" da educação do AP. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, agosto 12, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD