Header AD

Advogada explica motivo da fissura entre Assembleia Legislativa do AP e Executivo.

A notícia de que Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) teria colocado governador Waldez Góes (PDT) na parede, na questão da aprovação da lei que proíbe governo de fazer contratos administrativos [aqui]  — enquanto estiver em vigência nomes de concursados da saúde na lista a serem chamados pelo Setentrião — pode ter feito confusão na cabeça do leitor do DMM. A advogada Cláudia Capiberibe comenta no Facebook sobre o assunto.


A Alap não estaria mais apoiando agenda do Executivo? A questão, segundo Cláudia Capiberibe, passa por acordos nos bastidores na costura das alianças para as eleições municipais de 2 de outubro.

 — ‘A Presidência da Alap apoia [prefeito] Clecio em sua tentativa de reeleição. [Governador] Waldez apoia Gilvam. Cada um usando sua "máquina" para favorecer aliados’, escreveu a ex primeira dama do estado na rede social.

Com nova leia aprovada pelos deputados, os concursados começam a ter uma chance, depois de esperarem há mais de ano serem chamados aos postos ocupados por contratos administrativos.

Cláudia aponta motivo para aprovação da lei pelos parlamentares, que contrariou o governador, na questão dos concursados públicos.

 —‘Não porque parte dos deputados valoriza concurso mas porque virou "necessidade" não deixar que Gilvam ganhe espaço sobre Clecio, ou seja, impedindo Waldez de fazer o que já está fazendo, "comprando" apoio político para seu aliado através de contrato administrativo’, avalia.

Leia..

Momento de campanha é um momento rico e muito importante para se entender com que objetivo se movem muitos políticos. A Presidência da Alap apoia Clecio em sua tentativa de reeleição. Waldez apoia Gilvam. Cada um usando sua "máquina" para favorecer aliados. Assim, os concursados que esperam há ano serem chamados aos postos ocupados por contratos começam a ter uma chance. Não porque parte dos deputados valoriza concurso mas porque virou "necessidade" não deixar que Gilvam ganhe espaço sobre Clecio, ou seja, impedindo Waldez de fazer o que já está fazendo, "comprando" apoio político para seu aliado através de contrato administrativo. De repente, a Alap resolveu proibir os contratos, dizem que por causa dos concursados mas só agora? Sim, só agora porque agora precisam proteger o aliado Clécio do uso da máquina do governo a favor de Gilvam. Até a relação harmônica entre a Alap e Waldez começa a azedar, conforme se entende do discurso do líder do governo ameaçando novas eleições para a presidência da alap! E assim ficamos sabendo o que "sensibiliza" boa parte dos políticos a tomarem suas decisões e escolherem seu lado. Ou alguém acha que de repente, por exemplo, Acácio Favacho desgostou do prefeito e se apaixonou pela dupla Gilvam/Waldez. Acácio só deixou de "reinar" na CTMQ e passou a reinar no IPEM. E quem não prestava agora presta, e quem prestava já não serve mais! Haja coerência!! ‪#‎SQN‬#
O presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), Kaká Barbosa, pode ser destituído do cargo. É o que afirmou o líder do governo Waldez na Casa, Ericláudio Alencar, do PDT, a uma emissora de rádio local, na manhã desta quinta-feira, 4, [ler aqui].
___

Advogada explica motivo da fissura entre Assembleia Legislativa do AP e Executivo. Advogada explica motivo da fissura entre Assembleia Legislativa do AP e Executivo. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, agosto 04, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD