Header AD

Transparência: MPF/AP e AGU processam nove municípios por descumprimento da legislação.

O Ministério Público Federal (MPF/AP) e a Advocacia Geral da União (AGU) ajuizaram nesta quarta-feira, 6, ações contra nove municípios por descumprimento das Leis de Acesso à Informação e da Transparência Pública. A medida judicial é resultado das avaliações feitas nos portais das prefeituras durante a execução do Ranking Nacional da Transparência. As informações são da Assessoria de Comunicação Social.


Em razão do descumprimento das Leis de Acesso à Informação e da Transparência, o Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) e a Advocacia Geral da União (AGU) ajuizaram nesta quarta-feira, 6 de julho, ações civis públicas contra nove dos 16 municípios do Estado.

A finalidade é obrigá-los a implementar e aprimorar seus portais da transparência. As páginas devem permitir o acesso, de forma fácil e intuitiva, pela sociedade e por órgãos de fiscalização, às informações sobre quanto cada município recebe e está gastando com contratos públicos, licitações, folha de pagamento dos servidores e na prestação de serviços públicos para a sociedade.

A falta de informações públicas nos sites, contrariando o previsto na legislação, foi detectada durante as avaliações do Ranking Nacional da Transparência. O projeto, idealizado e executado pelo MPF em todo o país, com base em instrumento desenvolvido pela Estratégia Nacional de Combate à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos (Enccla), aconteceu em duas etapas.

Durante o primeiro levantamento, entre setembro e outubro de 2015, constatou-se que nenhum dos municípios do Amapá fornecia dados de forma satisfatória nos seus respectivos sites. À época, quatro deles sequer possuíam portais da transparência. O MPF/AP, então, emitiu recomendações aos gestores municipais orientando que no prazo de 120 dias regularizassem as pendências.

Na segunda avaliação, em maio, observou-se que Cutias, Ferreira Gomes, Itaubal, Laranjal do Jari, Oiapoque, Pedra Branca, Porto Grande, Santana e Tartarugalzinho ainda não atendiam adequadamente a legislação, o que motivou a adoção das medidas judiciais. Nas ações, MPF/AP e AGU sinalizam para a possibilidade de acordo extrajudicial com a finalidade de permitir aos municípios corrigir as pendências detectadas. “O MPF entende que a transparência é pressuposto necessário ao combate eficaz à corrupção. É dever legal do gestor agir com transparência plena. A população tem o direito de saber onde o dinheiro público está sendo gasto”, enfatiza o procurador da República Filipe Lucena.

Transparência

Em seis meses, em todo o Brasil, o nível de transparência melhorou em 33%. Na visão estadual, os municípios do Amapá registraram evolução de 23,82%, elevando o índice de 2,46 pontos na primeira avaliação para 3,10 na segunda. Os três municípios melhor classificados foram Mazagão (7,1), Serra do Navio (7,1) e Amapá (6,8).

Macapá saiu da antepenúltima posição entre as capitais brasileiras e agora figura na 22ª posição com 6,2 pontos, 1,9 a mais do que na avaliação anterior. Entre os Estados, com evolução de 37,93%, o Amapá saltou de 5,8 para 8 pontos, porém se manteve na 20ª posição. As notas completas podem ser acessadas no endereço: www.rankingdatransparencia.mpf.mp.br

___
Transparência: MPF/AP e AGU processam nove municípios por descumprimento da legislação. Transparência: MPF/AP e AGU processam nove municípios por descumprimento da legislação. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, julho 07, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD