Header AD

Randolfe denuncia plano do governo Temer de acabar com o programa Mais Médicos.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede) utilizou as redes sociais nesta quinta-feira, 23, para denunciar mais uma política do governo interino de Michel Temer (PMDB) de acabar com mais um programa social - o Mais Médicos.

Foto; ASSCOM/Senador Randolfe Rodrigues e prefeito Clécio Luís no Bailique

O parlamentar continua denunciar intento do governo interino de extinguir o Programa Mais Médicos. Através do Facebook, o senador denuncia em vídeo que no Amapá são 54 profissionais que poderão deixar de atender maioria da população de baixa renda.

 —Nós temos denunciado e vamos continuar denunciando o possível fim do Programa Mais Médicos, pelo descompromisso do governo brasileiro, afirma.

O parlamentar argumenta que não se pode simplesmente acabar com um programa que levou médicos a todas as regiões do País. Ele defende a instalação imediata da comissão especial para aprovar a MP 723 que prorroga o “Mais Médicos”.

Segundo o senador, cerca de 200 mil macapaenses correm o risco de ficar sem atendimento médico no próximo mês. A renovação dos contratos precisa ser realizada até o dia 30 de junho, só que o presidente em exercício, Michel Temer, não sinalizou interesse em prorrogar o programa.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Macapá (Semsa), 54 médicos estrangeiros atuam na capital, seis deles já foram devolvidos, porque o contrato foi finalizado. Os profissionais atuam no acompanhamento básico e primário da Saúde da Família, principalmente em distritos da capital.

Caso Bailique.

O sucesso do Programa tem levado saúde aos rincões do Brasil. No caso específico do Amapá, o distrito do Bailique possuía, em 2010, uma população de 7.618 habitantes, e um total de 1.838 domicílios, segundo o IBGE. Durante anos não havia um médico fixo na localidade, hoje cinco médicos atendem a população. “Populações que antes viviam na marginalidade passaram a ter tem assistência com o programa. Como esse povo vai ficar?”, indaga o senador Randolfe.

Segundo a Semsa, o Bailique é um dos distritos que possui vaga para médicos. Em quatro anos a Prefeitura não conseguiu contratar um clínico geral, mesmo com a oferta de um salário de mais de R$ 20 mil, para trabalhar 20 dias e folgar 10.

O Programa foi criado pelo Governo Federal para que médicos estrangeiros pudessem atuar no Brasil por 3 anos.  Os primeiros profissionais completam o prazo em julho. Em Macapá, são 14 médicos que devem retornar para Cuba, já que o visto e passaporte tem prazo de validade do programa.
Em todo o Brasil, os médicos atuam em 4.058 cidades, 73% dos municípios brasileiros, e em 34 distritos dedicados às comunidades indígenas, hoje atendidas por 300 médicos do programa.

Pesquisas independentes, segundo o senador, mostram que a maioria de 86% dos entrevistados afirma que a qualidade da atenção melhorou após a chegada dos profissionais do “Mais Médicos” e 60% destacaram a presença constante do médico e o cumprimento da carga horária.

Dias antes de ser afastada, a presidente Dilma Rousseff editou a MP que renovaria o programa. Se a Medida Provisória não for aprovada até 2 de julho, o Mais Médicos será simplesmente extinto.

Veja o vídeo:

__
Randolfe denuncia plano do governo Temer de acabar com o programa Mais Médicos. Randolfe denuncia plano do governo Temer de acabar com o programa Mais Médicos. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, junho 24, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD