Header AD

PF desarticula esquema de fraude previdenciária no Amapá.

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (15/6) a operação "Ex tunc" para investigar provável esquema criminoso de fraude previdenciária no estado do Amapá, por meio da concessão indevida de auxílio-reclusão e pensão por morte, com efeito retroativo, para supostos dependentes menores de idade. As informações são do Departamento de Polícia Federal (DPF).


Participam da operação 31 policiais federais, que dão cumprimento a 8 mandados de busca e apreensão e condução coercitiva, nos municípios de Macapá/AP e Porto Grande/AP. Entre os investigados estão 5 mulheres recebedoras dos benefícios e 3 servidores do INSS – todos que constam nos processos concessórios.

As investigações tiveram início a partir do recebimento de notícias de possíveis crimes, mediante fraudes, pela  Assessoria de Pesquisa Estratégica e de Gerenciamento de Riscos (APEGR) da Previdência, que as encaminhou à Polícia Federal para investigação.

Foram constatadas 13 concessões suspeitas de benefícios previdenciários, que geraram pagamento de valores atrasados acima de R$ 20 mil. Os 13 benefícios foram concedidos pela Agência de Previdência Social – APS Macapá, entre maio e junho deste ano, totalizando R$ 705 mil em valores atrasados.

A Polícia Federal representou pelo bloqueio dos repasses às cinco recebedoras suspeitas até ulterior decisão judicial, para resguardar o Erário até a conclusão das investigações.
A suspeita é de que os auxílios foram obtidos por meio da apresentação de documentos falsos junto ao INSS, a fim de confirmar vínculos inexistentes de condições especiais entre os instituidores e os supostos dependentes beneficiários.

Segundo a APEGR, o prejuízo identificado até o momento com oito benefícios previdenciários pagos é de R$ 306 mil. Contudo, o bloqueio dos repasses dos cinco benefícios que ainda não foram pagos possibilitou uma economia ao erário de R$ 399 mil.

Os envolvidos poderão responder por estelionato majorado, falsificação de documento público, falsidade ideológica e associação criminosa.

Neste ano, esta é a 22ª operação, em âmbito nacional, da Força-Tarefa Previdenciária, composta pela Polícia Federal, a Previdência e o Ministério Público Federal, que completa 16 anos de atuação. Com essas ações, a Previdência já conseguiu evitar um prejuízo de pelo menos R$ 136 milhões aos cofres públicos.

* Ex tunc é uma expressão em latim que significa "desde o início", "desde então", etc. De modo geral, é usada para determinar que os efeitos de uma lei ou sentença serão aplicados de forma retroativa, ou seja, mesmo em casos anteriores à aprovação da lei ou à prolação da sentença, a despeito do princípio da irretroatividade. O nome foi utilizado pois os benefícios previdenciários foram concedidos com efeitos retroativos.
__
PF desarticula esquema de fraude previdenciária no Amapá. PF desarticula esquema de fraude previdenciária no Amapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, junho 16, 2016 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD