Header AD

Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente.

No dia do servidor público manifestantes de vários setores foram às ruas na manhã desta quarta-feira (28), protestar contra o governo do Estado. Eles reivindicam reajustes e pagamentos de salários atrasados,  entre eles, vigilantes, sem-teto, servidores públicos, terceirizados e beneficiários do programa Renda para Viver Melhor. Mas o que chamou atenção foi a completa ausência do principal veículo de comunicação na cobertura dos protestos – a Rede Amazônica de Televisão (TV Amapá).


Internautas cobraram a emissora pelo “desaparecimento” na cobertura das manifestações. “E a TV Amapá nada fala sobre os protestos de hoje na Fab e na Padre Júlio. Que m**** de mídia nojenta é essa?”, comentou Maquinha Andrade o “‏@macaboy”, popular na rede social Twitter.

Outro usuário se surpreendeu com a postura da emissora. “A TVAP foi na FAB, fez cálculo sobre tarifa de ônibus e não conseguiu ver as manifestações na FAB. É muita distração!”, observou ‏@MaykomMagalhaes.

Houve até quem acusasse a TV Amapá de apoiar o governo do Amapá.  “A ordem para a maioria dos jornalistas é focar na Expofeira, mostrar a alegria da festa!”, escreveu @jeff_ms.

“E me pergunto, no que este governo tanto encanta a @TV_AMAPA ?” se questiona @caucapiberibe, que também se levantou contra o comportamento da emissora. Para ela é normal que o governo afirme que os R$8 milhões gastos na realização da Expofeira vão salvar a economia amapaense, mas estranha que a TV Amapá acredite nisso. Disse ainda sobre a completa ausência da emissora: ‘Espero isso do sistema Beija Flor, de propriedade do Gilvam [Borges]. Mas a @TV_AMAPA a cada dia consegue me surpreender com o serviço prestado ao GEA”.

Na coluna “Nos bastidores da política e do poder”, o jornalista Cláudio Humberto, que assina coluna em vários jornais do país, divulgou nota no início de agosto último intitulado “Tudo dominado”. Referia-se à nomeação de jornalistas da TV Amapá para cargos comissionados no Governo Waldez.

A TV Amapá é um dos veículos de comunicação com maior audiência no Estado e considerado poder para influenciar e manipular a opinião pública amapaense. Por isso, nas palavras de Cláudio Humberto, ao determinar que seu secretário da Comunicação, Gilberto Ubaiara, convidasse e contratasse jornalistas da TV Amapá, o governador Waldez Góes estaria neutralizando um inimigo poderoso, obrigando-o a compactuar com futuros “equívocos”.

Pressão

A TV Amapá pode ter sofrido pressão do governo do Estado em decorrência da reportagem da última segunda-feira (26) em que mostrava a trágica situação dos pacientes do Hospital Alberto Lima (Hcal) [ver matéria, aqui], pois o repórter Dyepson Martins revelou o constrangimento. "É incrível como no jornalismo aqui sempre te colocam no lado A ou B, você nunca está simplesmente trabalhando", escreveu em uma rede social.

Nas manifestações de hoje, os protestos se concentraram na Avenida Fab e na rua Padre Júlio Maria Lombaerd.

Modificação em 29-10-2015, às 8:31h
__

Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente. Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, outubro 28, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD