Header AD

Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente.

No dia do servidor público manifestantes de vários setores foram às ruas na manhã desta quarta-feira (28), protestar contra o governo do Estado. Eles reivindicam reajustes e pagamentos de salários atrasados,  entre eles, vigilantes, sem-teto, servidores públicos, terceirizados e beneficiários do programa Renda para Viver Melhor. Mas o que chamou atenção foi a completa ausência do principal veículo de comunicação na cobertura dos protestos – a Rede Amazônica de Televisão (TV Amapá).


Internautas cobraram a emissora pelo “desaparecimento” na cobertura das manifestações. “E a TV Amapá nada fala sobre os protestos de hoje na Fab e na Padre Júlio. Que m**** de mídia nojenta é essa?”, comentou Maquinha Andrade o “‏@macaboy”, popular na rede social Twitter.

Outro usuário se surpreendeu com a postura da emissora. “A TVAP foi na FAB, fez cálculo sobre tarifa de ônibus e não conseguiu ver as manifestações na FAB. É muita distração!”, observou ‏@MaykomMagalhaes.

Houve até quem acusasse a TV Amapá de apoiar o governo do Amapá.  “A ordem para a maioria dos jornalistas é focar na Expofeira, mostrar a alegria da festa!”, escreveu @jeff_ms.

“E me pergunto, no que este governo tanto encanta a @TV_AMAPA ?” se questiona @caucapiberibe, que também se levantou contra o comportamento da emissora. Para ela é normal que o governo afirme que os R$8 milhões gastos na realização da Expofeira vão salvar a economia amapaense, mas estranha que a TV Amapá acredite nisso. Disse ainda sobre a completa ausência da emissora: ‘Espero isso do sistema Beija Flor, de propriedade do Gilvam [Borges]. Mas a @TV_AMAPA a cada dia consegue me surpreender com o serviço prestado ao GEA”.

Na coluna “Nos bastidores da política e do poder”, o jornalista Cláudio Humberto, que assina coluna em vários jornais do país, divulgou nota no início de agosto último intitulado “Tudo dominado”. Referia-se à nomeação de jornalistas da TV Amapá para cargos comissionados no Governo Waldez.

A TV Amapá é um dos veículos de comunicação com maior audiência no Estado e considerado poder para influenciar e manipular a opinião pública amapaense. Por isso, nas palavras de Cláudio Humberto, ao determinar que seu secretário da Comunicação, Gilberto Ubaiara, convidasse e contratasse jornalistas da TV Amapá, o governador Waldez Góes estaria neutralizando um inimigo poderoso, obrigando-o a compactuar com futuros “equívocos”.

Pressão

A TV Amapá pode ter sofrido pressão do governo do Estado em decorrência da reportagem da última segunda-feira (26) em que mostrava a trágica situação dos pacientes do Hospital Alberto Lima (Hcal) [ver matéria, aqui], pois o repórter Dyepson Martins revelou o constrangimento. "É incrível como no jornalismo aqui sempre te colocam no lado A ou B, você nunca está simplesmente trabalhando", escreveu em uma rede social.

Nas manifestações de hoje, os protestos se concentraram na Avenida Fab e na rua Padre Júlio Maria Lombaerd.

Modificação em 29-10-2015, às 8:31h
__

Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente. Manifestantes nas ruas: presente. TV Amapá: ausente. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quarta-feira, outubro 28, 2015 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD