Header AD

Gilvam quer a prefeitura de Macapá.

O ex-senador peemedebista Gilvam Borges anunciou em uma rádio local, nesta quinta-feira (15), que é pré-candidato ao cargo de prefeito de Macapá nas próximas eleições municipais de 2016. 

Diz que apesar de sair da Secretaria da Representação do governo em Brasilia (sem entregar os cargos) continua apoiando o governo pedetista.


Ele pretende ser o nome capaz de unificar o grupo político que gravita em torno do governador Waldez Góes (PDT). Além de Gilvam, dois possíveis pré-candidatos podem entrar em rota de colisão com as pretensões do peemedebista, o ex-prefeito e deputado federal Roberto Góes (PDT) e o ex-deputado, Jorge Amanajás (ex-PPS).

O ex-senador diz que sua prioridade no momento é destronar o senador Davi Alcolumbre (DEM) do Senado da República, a quem considera “traidor mor”, afirma também que Davi pode sair do Senado entre seis meses a um ano.

Borges avalia que estando à frende da Prefeitura de Macapá, o seu suplente, Paulo Guerra, é um bom nome para substituí-lo na Câmara Alta (Senado). “Mas eu tenho um bom suplente, que é o [ex] deputado Paulo Guerra, e a partir do momento que eu assumir compromisso com a cidade de Macapá, eu abrirei mão do senado”, presume.

“Eu sou pré-candidato à prefeitura de Macapá” asseverou.

Diante desta afirmação, dificilmente Roberto Góes ou Jorge Amanajás terão folego e força para contestar a intenção do aliado, visto que, se forem para o embate, podem se tornar alvo da artilharia midiática do ex-senador.

Gilvam entrega a Secretaria da Representação do governo em Brasileia, sem entregar os cargos. Além da Segov/Bsb, ele comanda a Secretaria de Cultura (Secult) e a Secretaria de Infraestrutura (Seinf). E, possivelmente, pela disputa por mais espaço na máquina pública estadual, cobra que todos os secretários entreguem seus cargos para que o governador Waldez Góes possa fazer uma reforma administrativa.

Gilvam Borges não vence uma eleição há exatos vinte e um (21) anos. Ele venceu a última em 1994, quando foi eleito senador. A primeira derrota ocorreu em 1998, na disputa pelo governo do Estado, ficando em terceiro lugar. Em 2002 tentou reeleger-se senador, mas ficou novamente em 3° lugar.  O ex-senador retornou ao senado em dezembro de 2005, em virtude da cassação do segundo colocado, João Capiberibe. Em 2010 voltou a disputar o senado, mas perdeu novamente para Capiberibe. Chegou, ainda, a ocupar a cadeira, porém teve que deixar o cargo após o STF decidir que a Lei da Ficha Limpa não era válida para aquela eleição. Ele tenta na Justiça Eleitoral ocupar a vaga do senador Davi Alcolumbre, do DEM.
___
Gilvam quer a prefeitura de Macapá. Gilvam quer a prefeitura de Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, outubro 15, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD