Header AD

Cláudia Capiberibe: a mentira, no governo Waldez, já virou ‘política de governo’.

A advogada e ex-primeira dama do Estado, Cláudia Camargo Capiberibe, publicou post em seu perfil do Facebook, nesta quarta – feria (7), em que fez críticas ao governador Waldez Góes (PDT).


“O atual governador do Amapá, Waldez Góes, não aprendeu essa lição em casa”, diz. Ela se refere ao caso do aumento dos salários do primeiro escalão do governo do Amapá, efetuado no início da atual gestão. Cláudia afirma que Waldez mente ao atribuir o aumento dos salários do staff do atual governo à gestão anterior, de Camilo Capiberibe.

“Mente como se suas palavras não pudessem ser checadas ou como quem realmente não valoriza a verdade”, critica.

A advogada cita matéria do portal G1/Amapá em que o governador do Amapá acusou o ex-governador Camilo Capiberibe pelo aumento. "Na verdade não aumentei nada, a lei quem faz são as assembleias legislativas. E essa é uma medida que os governos não podem adotar, de aumento de salário. Quando cheguei, a lei já existia, e o que fiz agora foi cortar 20% do que a assembleia aprovou quando o ex-governador ainda era governador", justificou Waldez para o G1/AP.

Depois da reportagem do G1, alguns assessores do governo utilizaram as redes sociais para repercutir a suposta “mentira” do governador. O jornalista Ney Pantaleão foi um deles. “Muita gente não sabe, ou finge que não sabe, mas o acréscimo do salario foi aprovado (inclusive com votos dos deputados do PSB) e ENVIADO para a Assembleia Legislativa pelo então governador Camilo Capiberibe, em 2014, para valer a partir de 2015”, escreveu Ney Pantaleão em uma rede social.

Cláudia cita, também, matéria do portal MZ, onde demostra que o aumento tornou-se lei em 21/01/2015, quando na ocasião Waldez Góes foi quem a sancionou depois de ser aprovada pela Assembleia Legislativa do Amapá (Alap). “Lei essa que poderia ter sido vetada, caso Waldez não quisesse ter seu salário aumentado em 30%, como fizeram muitos governadores em razão do déficit de orçamento”, compara.

Ela diz, ainda, que na era digital “quem mente, mais cedo ou mais tarde, será desmentido!”.
E desanca, ao concluir: vai ficando claro que a mentira, no governo Waldez, já virou ‘política de governo’.

Veja a íntegra.
Mais uma vez, pego na mentira. Somos todos ensinados desde pequenos que não devemos mentir, que dizer a verdade e assumir as consequências do que fazemos é sempre melhor, mesmo que as vezes tenhamos que nos desculpar. O atual governador do Amapá, Waldez Góes, não aprendeu essa lição em casa. Mente como se suas palavras não pudessem ser checadas ou como quem realmente não valoriza a verdade. Vejam, site de notícias G1Ap coloca frase do governador entre aspas afirmando que não aumentou seu salário, diz que foi o governo passado. Hoje, matéria do portal MZ demonstra que o aumento tornou-se lei em 21/01/2015, depois de Waldez ter sancionado lei votada na Alap. Lei essa que poderia ter sido vetada, caso Waldez não quisesse ter seu salário aumentado em 30%, como fizeram muitos governadores em razão do déficit de orçamento. Mas, na era digital, quem mente, mais cedo ou mais tarde, será desmentido! E vai ficando claro que a mentira, no governo Waldez, já virou "política de governo". Triste.

Veja informações do Diário Oficial que contestam informações do governador Waldez Góes.



__
Cláudia Capiberibe: a mentira, no governo Waldez, já virou ‘política de governo’. Cláudia Capiberibe: a mentira, no governo Waldez, já virou ‘política de governo’. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, outubro 08, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD