Header AD

Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá.

O ex senador pelo Amapá, José Sarney, chegou ao estado na tarde desta quinta-feira, 10, para anunciar pela 4a vez a retomada das obras do Aeroporto Internacional de Macapá; a novela 'aeroporto' está completando vinte (20) anos de promessas para a conclusão da obra; abaixo, o histórico de paralisações e corrupção que cercam a construção do Aeroporto. As informações são do MZ portal.

Foto: Diário do Amapá.
 .......................................................


A exemplo do que ocorreu em 1995, depois em 1999, em seguida em 2003 uma festa está sendo organizada para o anunciar a retomada das obras do Aeroporto Internacional de Macapá. Detalhe: na maioria desses casos a paralisação se deu por conta de denúncias de corrupção e, por coincidência, em todos os lançamentos quem estava presente era o então senador José Sarney.

 Em 1995, por exemplo, o ex-senador vendeu a história da ampliação do aeroporto e na época várias famílias chegaram a ser retiradas da cabeceira da pista surgindo os bairros Infraero I e II. No entanto, nada foi feito. Quatro anos depois, 1999, coincidentemente sempre as vésperas das eleições, Sarney surge novamente com a promessa de que agora a obra seria executada.

Mas, foi em 2003 que os amapaenses puderam perceber a edificação que estava sendo construída. Uma estrutura moderna que escondia um grande esquema de corrupção que resultaria em 2007 na paralisação da obra e na prisão de várias autoridades e empresários do país acusados de superfaturamento.

Surgindo nesta data, a operação Navalha, da Polícia Federal, que prendeu Zuleido Veras, dono da construtora Gautama, que era a empresa responsável pela obra, que por sinal era fruto de emenda do senador José Sarney (PMDB-AP).

Na época o jornal Folha de São Paulo revelou que o desvio apontado pelo TCU nas obras era estimado em R$ 50,9 milhões. Apesar de não ter sido alvo da Operação Navalha, o Amapá abrigava os políticos que, nas eleições de 2006 receberam mais dinheiro da Gautama, entre eles Waldez Góes (PDT), R$ 200 mil e Papaléo Paes (PSDB), que na época era senador, que recebeu R$ 100 mil, além é claro do próprio senador Sarney.

Gravação da PF revela relação entre Sarney e empreiteiro

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o dono da construtora Gautama, o empreiteiro Zuleido Veras disse que não faltaria dinheiro para um empreendimento em Macapá porque “é obra de Sarney”. É o que revelou uma gravação telefônica interceptada legalmente pela Polícia Federal.

As interceptações foram feitas de julho a agosto de 2006, época em que a Gautama ampliava o aeroporto de Macapá, principal obra pela qual Sarney se empenhou nas eleições daquele ano. Sarney foi reeleito.

Zuleido foi preso, denunciado pelo Ministério Público e indiciado por formação de quadrilha, corrupção e tráfico de influência, crimes descobertos pela PF na Operação Navalha de abril de 2007.

Em outra conversa, em Brasília, o empreiteiro diz que estava chegando à casa de Sarney. A assessoria do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), negou o conteúdo das gravações e disse que nunca Zuleido nunca foi recebido pelo senador em sua casa.
___
Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá. Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, setembro 11, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD