Header AD

Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá.

O ex senador pelo Amapá, José Sarney, chegou ao estado na tarde desta quinta-feira, 10, para anunciar pela 4a vez a retomada das obras do Aeroporto Internacional de Macapá; a novela 'aeroporto' está completando vinte (20) anos de promessas para a conclusão da obra; abaixo, o histórico de paralisações e corrupção que cercam a construção do Aeroporto. As informações são do MZ portal.

Foto: Diário do Amapá.
 .......................................................


A exemplo do que ocorreu em 1995, depois em 1999, em seguida em 2003 uma festa está sendo organizada para o anunciar a retomada das obras do Aeroporto Internacional de Macapá. Detalhe: na maioria desses casos a paralisação se deu por conta de denúncias de corrupção e, por coincidência, em todos os lançamentos quem estava presente era o então senador José Sarney.

 Em 1995, por exemplo, o ex-senador vendeu a história da ampliação do aeroporto e na época várias famílias chegaram a ser retiradas da cabeceira da pista surgindo os bairros Infraero I e II. No entanto, nada foi feito. Quatro anos depois, 1999, coincidentemente sempre as vésperas das eleições, Sarney surge novamente com a promessa de que agora a obra seria executada.

Mas, foi em 2003 que os amapaenses puderam perceber a edificação que estava sendo construída. Uma estrutura moderna que escondia um grande esquema de corrupção que resultaria em 2007 na paralisação da obra e na prisão de várias autoridades e empresários do país acusados de superfaturamento.

Surgindo nesta data, a operação Navalha, da Polícia Federal, que prendeu Zuleido Veras, dono da construtora Gautama, que era a empresa responsável pela obra, que por sinal era fruto de emenda do senador José Sarney (PMDB-AP).

Na época o jornal Folha de São Paulo revelou que o desvio apontado pelo TCU nas obras era estimado em R$ 50,9 milhões. Apesar de não ter sido alvo da Operação Navalha, o Amapá abrigava os políticos que, nas eleições de 2006 receberam mais dinheiro da Gautama, entre eles Waldez Góes (PDT), R$ 200 mil e Papaléo Paes (PSDB), que na época era senador, que recebeu R$ 100 mil, além é claro do próprio senador Sarney.

Gravação da PF revela relação entre Sarney e empreiteiro

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o dono da construtora Gautama, o empreiteiro Zuleido Veras disse que não faltaria dinheiro para um empreendimento em Macapá porque “é obra de Sarney”. É o que revelou uma gravação telefônica interceptada legalmente pela Polícia Federal.

As interceptações foram feitas de julho a agosto de 2006, época em que a Gautama ampliava o aeroporto de Macapá, principal obra pela qual Sarney se empenhou nas eleições daquele ano. Sarney foi reeleito.

Zuleido foi preso, denunciado pelo Ministério Público e indiciado por formação de quadrilha, corrupção e tráfico de influência, crimes descobertos pela PF na Operação Navalha de abril de 2007.

Em outra conversa, em Brasília, o empreiteiro diz que estava chegando à casa de Sarney. A assessoria do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), negou o conteúdo das gravações e disse que nunca Zuleido nunca foi recebido pelo senador em sua casa.
___
Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá. Vinte (20) anos: Sarney e a história da construção do aeroporto de Macapá. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, setembro 11, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD