Header AD

Dilma veta regulamentação de dinheiro de empresas privadas em campanhas eleitorais.

Apesar do financiamento privado ser considerado inconstitucional por 8 votos a 3 no STF, ministro Gilmar Mendes e Eduardo Cunha fazem pressão para reabrir votação do processo.


A presidenta Dilma Roussef vetou, nesta quinta-feira (24), o financiamento empresarial de campanhas que havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados no mês passado. A expectativa é que a medida seja publicada até a próxima segunda-feira (28) no Diário Oficial da União.

A decisão de Dilma acompanha a do Supremo Tribunal Federal (STF) que, poucos dias antes, já havia declarado a inconstitucionalidade das doações com uma larga vitória de 8 votos contra e 3 a favor.

Apesar da decisão, o ministro Gilmar Mendes declarou que quer reabrir a votação sobre a constitucionalidade do financiamento, alegando que a vigência da doação não ficou definida e assim, todas as outras eleições no Brasil passariam a ser anuladas.

Em contrapartida, o gabinete do presidente do STF, o ministro Ricardo Lewandownki, afirmou que a decisão já esta valendo para próximas eleições de 2016, conforme sugere a ata de julgamento da ação.

Na última segunda - feira (21), o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), criticou o Supremo Tribunal Federal. Ele disse que se a presidente Dilma Rousseff vetasse a "doação" de dinheiro das empresas nas campanha eleitorais ela estaria interferindo na autonomia do Congresso Nacional.

O presidente da Câmara e o Ministro do STF, Gilmar mendes, são os principais agentes que defendem o financiamento privado. Cunha argumenta que, embora o STF tenha considerado, em julgamento concluído na semana passada, inconstitucional que empresas doem recursos a candidatos e partidos, o assunto não está encerrado.

Ricardo Lewandowski, presidente do STF, disse que a decisão vale daqui em diante, ou seja, já para as eleições de 2016. Mas Gilmar e Cunha cobram que essa definição seja dada pelo plenário da corte.

Cunha alega ainda que alguns partidos estudam apresentar um questionamento ao STF pedindo a modulação da decisão.

O presidente da Câmara disse também que o tribunal criou um grave problema aos candidatos e irá resultar na figura do doador-laranja. Em sua avaliação, empresas procurarão pessoas físicas para, por meio delas, continuar financiando candidatos de forma camuflada.

Com informações da Agência Brasil.
___
Dilma veta regulamentação de dinheiro de empresas privadas em campanhas eleitorais. Dilma veta regulamentação de dinheiro de empresas privadas em campanhas eleitorais. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, setembro 25, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD