Header AD

Deputados se manifestam sobre o caso do bebê incinerado.

"Em qualquer lugar que você for, vai encontrar um caos [na saúde] e várias obras estão paradas", lamenta o deputado Max da AABB (PSB-AP).

Foto reprodução Asscom-Alap.
Deputados criticaram a postura da Secretária de Saúde do Estado (Sesa) sobre caso do bebê incinerado na última quinta-feira, 6.  A sessão aconteceu na manhã de hoje, 10, na Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP).

Os parlamentares da base de apoio ao Setentrião defendem o governo ao tentarem tirar a responsabilidade política do governador Waldez Góes, sobre o caos na saúde pública. Nos últimos sete dias do mês de julho cerca de 6(seis) crianças morreram no Pronto Atendimento Infantil (PAI).

O deputado Antônio Furlan (PTB-AP), da Comissão de Saúde da Alap, disse que a repercussão do caso não pode ganhar conotação política e garantiu que a frente parlamentar vai acompanhar o caso com a Polícia Civil.

"Não se pode fazer política em cima do caso da criança. Quando começa a discutir dessa forma, estamos indo para um caminho que não é ideal. Vamos acompanhar o caso de perto com a comissão da saúde", disse Furlan.

Deputado Pedro da Lua (PSC-AP) foi o mais duro nas críticas ao secretário de saúde, ao acusá-lo de fornecer "informação mentirosa". "Quero repudiar a atitude do secretário Pedro Leite porque ao meio-dia [de sexta-feira] ele avisou que foi encontrado o corpo da criança e depois houve a constatação da incineração. Na reunião da equipe de governo, ele mandou o adjunto [para a coletiva]. Ele vai ter que responder pela informação mentirosa, a falta de resposta imediata e as explicações sobre o que aconteceu para a família", disse Da Lua.

"A saúde precisa de um impacto na gestão e o secretário tem que pedir para ir embora. Foram seis meses de emergência e nada de avanço. O governo tem que aproveitar o restante do decreto para resolver os problemas da saúde", criticou o pessolista Paulo Lemos.

"Em qualquer lugar que você for, vai encontrar um caos [na saúde] e várias obras estão paradas", lamentou o deputado Max da AABB (PSB-AP).

O bebê morreu na madrugada do dia (6). O caso gerou uma investigação interna na Secretaria de Estado da Saúde (SESA), que confirmou o sumiço do corpo da criança e revelou que ele foi incinerado por engano.
__
Deputados se manifestam sobre o caso do bebê incinerado. Deputados se manifestam sobre o caso do bebê incinerado. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, agosto 10, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD