Header AD

Vídeo sobre o escândalo no Futebol: como o FBI chega à Globo

Azenha:  Como é possível a Globo oferecer menos e ter a exclusividade dos eventos?

Escândalo do Futebol


Veja vídeo no final do texto..

Indiciado pela Polícia Federal na última segunda-feira (1) pelos crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsidade ideológica e falsificação de documento público, o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, é considerado a peça chave que pode envolver ainda mais a Rede Globo no escândalo de corrupção entre a Fifa e empresas de marketing esportivo, que são investigadas por autoridades americanas.

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, o esquema envolvia subornos e propinas entre dirigentes da Fifa e executivos do setor na comercialização de jogos e direitos de marketing de campeonatos como eliminatórias da Copa do Mundo na América do Norte, a Concacaf, a Copa América, a Libertadores e a Copa do Brasil, que é organizada pela CBF.

Segundo o jornalista Luiz Carlos Azenha, um dos autores do livro “O Lado Sujo do Futebol”, que conta como João Havelange e Ricardo Teixeira entregaram o futebol brasileiro às grandes corporações globais do ramo e lucraram com o negócio, Teixeira é um dos únicos envolvidos capaz de revelar, por exemplo, como a Globo ganhava direitos de transmissão de jogos mesmo com ofertas inferiores à dos concorrentes e, consequentemente, como era feita a distribuição de propinas.

“Isso é o que falta esclarecer e o Ricardo Teixeira é o homem-bomba. Ele sabe mais do que ninguém se os cartolas receberam propina para vender os direitos de transmissão com exclusividade. Será que o Teixeira levou dinheiro de alguma emissora? É curioso. Aconteceram muitas vezes: a empresa que fazia propostas maiores não ganhava. Alguma coisa tem aí. No Brasil, a Record já fez proposta melhor que a da Globo e perdeu. Tanto para a Copa do Mundo como para o Campeonato Brasileiro. Outras pessoas que também podem falar são o José Maria Marín e Marcelo Campos Pintos, do Globo Esporte”, esclarece Azenha em entrevista exclusiva a Paulo Henrique Amorim na noite de ontem.

Na quarta-feira (27), José Maria Marin, que antecedeu o atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, e outros seis dirigentes da Fifa foram presos pela polícia suíça em uma operação surpresa. Eles estavam no país para eleição do novo presidente da entidade internacional de futebol.

Na entrevista à TV Afiada, ao falar sobre o possível indiciamento de Teixeira também nos Estados Unidos, o jornalista do Viomundo e da Rede Record citou o processo de compra, pela Globo, dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002. O grupo da família Marinho é acusado, pela Receita Federal, de montar um esquema para mascarar a compra dos direitos. O objetivo seria burlar o pagamento de impostos que deveriam ser recolhidos à União pela aquisição.

“O indiciamento [nos EUA] tem quatro colaboradores que estão entregando tudo, especialmente o J. Hawilla, que sabe tudo. Na investigação, tem que o presidente da CBF, em 1996, assinou um contrato com uma empresa de material esportivo dos EUA e mais o Hawilla. Neste ano, o Teixeira era o presidente e a empresa era a Nike”, lembrou Azenha.

“O J. Hawilla já entregou ao FBI que tinha uma carta dada pela CBF que ele poderia receber a propina diretamente da Nike na Suíça. Metade ele rachou com Ricardo Teixeira”, afirmou Azenha que leu as 300 páginas do indiciamento do FBI.

Abaixo, outros trechos da entrevista:

O que pode acontecer com a Globo

“O Marín e o Ricardo Teixeira, se colaborarem com a Justiça, podem falar sobre o esquema da Globo. Eles vão ter que explicar o porquê de uma emissora, mesmo com propostas inferiores, manteve um controle tão grande sobre o futebol por tanto tempo”

Como funciona o esquema
A ISL fez na Suíça o mesmo papel que o J. Hawilla faz nesse escândalo apurado pela FBI. Era intermediário.

O papel dos intermediários é esse: receber a bolada e fazer a distribuição da propina.

Se você analisar contratos da CBF, do nada, surgiam um intermediário.

O intermediário pega o direito de transmissão – em tese só para revender para emissora – recebe e parte desse dinheiro é desviado para pagar as propinas.

Por exemplo, o contrato da Nike com a CBF em 1996 de US$ 166 milhões ao todo. O FBI apurou que US$ 40 milhões eram propina. US$ 30 milhões foram pagos para a empresa do J. Hawilla na Suíça. Ele dividiu em dois e Us$ 15 milhões ficaram para ele e a outra metade para o Ricardo Teixeira.

CPI do Futebol

“Eu duvido que o Romário chame o Marcelo Campos Pinto para depor na CPI. Acho difícil.”

“Tivemos a CPI em 1999/2000. 15 anos se passaram, o contrato da Nike foi investigado, e não se descobriu nada”

O quem vem aí

“Por tudo que li do Ricardo Teixeira, não acredito que vá acontecer alguma coisa no Brasil”

“Porém, o que vai ocorrer nos Estados Unidos é que vai render muita coisa”



Alisson Matos, editor do Conversa Afiada

__
Vídeo sobre o escândalo no Futebol: como o FBI chega à Globo Vídeo sobre o escândalo no Futebol: como o FBI chega à Globo Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sábado, junho 06, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD