Header AD

Justiça condena empresa de energia Cachoeira Caldeirão

A pedido do MP-AP, justiça condena empresa de energia Cachoeira Caldeirão S.A


O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça de Porto Grande, ajuizou ação civil pública c/c liminar, em desfavor da EDP Energias do Brasil, representada pela empresa de Energia Cachoeira Caldeirão S/A, alegando, em síntese, que a empresa não vem priorizando a mão de obra local, especialmente nas áreas afetadas direta e indiretamente pela construção da Usina Hidrelétrica, bem como não está realizando a contratação da referida mão de obra utilizando-se do SIMES de Porto Grande e Ferreira Gomes, conforme consta nas condicionantes para expedição de licenças ambientais pertinentes.

“O Objeto da ação é forçar que a empresa cumpra o que constou nas condicionantes para a expedição das licenças, bem como seu plano básico ambiental”, declarou a promotora de Justiça de Porto Grande, Fábia Nilci. Ao final, O Ministério Público requereu: a intimação do IMAP e do Estado do Amapá, para que se manifestassem interesse na causa,  o reconhecimento de danos morais e materiais à comunidade de Porto Grande, e que o valor do descumprimento fosse destinado ao fundo estadual de defesa dos direitos difusos (Lei 7347/85).

Em audiência de instrução, o Estado do Amapá e o IMAP não manifestaram interesse na causa.

A justiça do Estado do Amapá, por meio da Vara única de Porto Grande, condenou a empresa Cachoeira Caldeirão S/A em obrigação de fazer consistente na contratação em percentual de 70% dos trabalhadores ativos, apresentando relatórios trimestrais que contemplem as admissões e demissões de mão de obra, para fins de verificação do percentual, até a entrega efetiva da obra, fixando o prazo de 30 dias, sob pena de multa de R$10.000,00 por dia de atraso, além de ter condenado a empresa ao pagamento de R$1.000.000,00 (um milhão de reais), a título de indenização por danos  morais.

“É inegável que a frustração das expectativas da sociedade portograndense, pelo não cumprimento da referida condicionante, trouxe aos munícipes que aqui já residiam a sensação de impotência, de terem sido enganados e humilhados, como se não fossem capazes ou fossem inferiores aos trabalhadores de outras unidades federadas”, ressaltou o juiz,  Julle Anderson de Souza Mota.

ASSCOM-MPE
__
Justiça condena empresa de energia Cachoeira Caldeirão Justiça condena empresa de energia Cachoeira Caldeirão Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, junho 15, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD