Header AD

Suspeito de favorecer Sarney suspende julgamento da operação ‘Mãos Limpas’ no STJ.

Pedido de vista de ministro – que teria tido o apoio de Sarney para nomeação ao STJ em 2007- suspende análise de denúncia contra conselheiros do TCE-AP, investigados pela operação Mãos Limpas.


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) iniciou, na última quarta-feira (6), a análise do recebimento de denúncia contra conselheiros e servidores do Tribunal de Contas do Amapá (TCE), acusados pelo Ministério Público de desviar R$ 150 milhões dos cofres da instituição, resultado de investigações conduzidas no âmbito da operação Mãos Limpas, deflagrada em 2010 pela Polícia Federal.

Os ministros Humberto Martins, Maria Thereza de Assis Moura e Herman Benjamin acompanharam o voto do relator, ministro João Otávio de Noronha, pela aceitação da denúncia de peculato, recebimento de ajuda de custo indevida, e por formação de quadrilha. O julgamento foi interrompido por pedido de vista do ministro Napoleão Nunes Maia Filho. Ele é suspeito de favorecer a família Sarney em julgamentos no STJ.

Napoleão Nunes Maia Filho contrariou súmula do Supremo Tribunal Federal ao conceder liminar em decisão polêmica, em dezembro de 2009, permitindo que os advogados do filho do ex-senador, o empresário Fernando Sarney, tivessem acesso ao inquérito sigiloso da Polícia Federal, que apurava indícios de movimentação ilegal de dinheiro da família Sarney, às vésperas da eleição de 2006, com saques em dinheiro vivo de cerca de R$ 3,5 milhões.

A decisão causou perplexidade em parte do meio jurídico, principalmente entre policiais federais. Naquele ano, de 2006, o ex-senador por pouco não perde para Cristina Almeida a única vaga ao Senado Federal.

Em fevereiro de 2008, Napoleão Nunes Maia Filho concedeu entrevista à Folha de S. Paulo, dando uma rara declaração pública sobre a natureza das decisões judiciais envolvendo políticos no Brasil. Para ele, “há políticos tão blindados pela sociedade, que suspeita de corrupção não pega neles”. Disse também na ocasião que o governador de São Paulo, José Serra, é “quase blindado”.

Recentemente, mesmo sem mandato eletivo, José Sarney conseguiu indicar mais um aliado para uma vaga no STJ. A presidente Dilma Rousseff nomeou, a pedido do ex-senador, o desembargador Reynaldo Soares da Fonseca, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

O ministro Napoleão Maia Filho negou ter proximidade com a família Sarney em reportagem da Folha de São Paulo.

__
Suspeito de favorecer Sarney suspende julgamento da operação ‘Mãos Limpas’ no STJ. Suspeito de favorecer Sarney suspende julgamento da operação ‘Mãos Limpas’ no STJ. Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on sexta-feira, maio 08, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD