Header AD

Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa

Há exatos 4 meses no governo, os médicos Fernando Nascimento e Joel Brito Coelho pedem demissão e revelam nova disputa de interesses na Secretaria de Saúde (Sesa).




A pasta foi alvo dos maiores escândalos nos dois mandatos de Waldez Góes (PDT) entre 2003 e 2010, em decorrência das principais operações da Polícia Federal. A Sesa volta a ter novamente os holofotes no atual mandato do pedetista.

Leia.

Amapá 247 - Cinco dias antes do pedido de exoneração, Joel Brito havia assinado uma portaria aumentando de R$ 1 mil para R$ 1,5 mil o valor dos plantões médicos presenciais de 12 horas e de R$ 500,00 para R$ 750,00 o sobreaviso. O aumento no valor dos plantões elevaria ainda mais o rendimento dos médicos da rede publica do Estado, já exorbitante para a realidade local. Em um mês, por exemplo, um médico que tirar 20 plantões recebe do  Estado R$ 30 mil, fora o salário.

A medida financeira beneficiou a classe médica que votou em peso no atual governador,  porém logo após a portaria da Sesa,  a Procuradoria do  Estado (Prog) resolveu impor limites em relação ao rendimento dos médicos. A  Prog determinou que a Sesa obedeça ao teto constitucional na remuneração dos profissionais de saúde a ela vinculados, incluindo o valor recebido a título de plantões médicos.

A determinação contrariou a classe médica e novamente sobrou para a população que agora enfrenta a falta de médicos plantonistas nos hospitais do Estado. “Tem vários furos na escala de plantões em virtude do teto que o Waldez colocou para os plantões. Ou seja, quando chega ao teto o médico não vai mais trabalhar” afirma um servidor do Hospital de Clínicas Alberto Lima (HCAL).

Tanto em relação a portaria da Sesa como em relação a determinação da Prog, o secretário de saúde e promotor de justiça licenciado Pedro Leite, se manteve em silêncio.  Escolha pessoal de Waldez Góes, o secretário não tem o apoio dos médicos que esperavam um profissional da área como titular da Sesa. Enquanto tinha Fernando Nascimento e Joel Brito como adjuntos Leite foi poupado de críticas pela classe.

Presidente do sindicato dos médicos até 2014, ferrenho crítico do governo passado e defensor do atual governo, Fernando Nascimento pediu exoneração alegando “motivo de ordem pessoal”.  Como os hospitais do Estado enfrentam falta de remédios,  médicos e leitos, alguns profissionais de saúde aguardam com expectativa  como vai se comportar ex-presidente do sindicato da categoria daqui para frente.

__
Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, maio 04, 2015 Rating: 5



SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD