Header AD

Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa

Há exatos 4 meses no governo, os médicos Fernando Nascimento e Joel Brito Coelho pedem demissão e revelam nova disputa de interesses na Secretaria de Saúde (Sesa).




A pasta foi alvo dos maiores escândalos nos dois mandatos de Waldez Góes (PDT) entre 2003 e 2010, em decorrência das principais operações da Polícia Federal. A Sesa volta a ter novamente os holofotes no atual mandato do pedetista.

Leia.

Amapá 247 - Cinco dias antes do pedido de exoneração, Joel Brito havia assinado uma portaria aumentando de R$ 1 mil para R$ 1,5 mil o valor dos plantões médicos presenciais de 12 horas e de R$ 500,00 para R$ 750,00 o sobreaviso. O aumento no valor dos plantões elevaria ainda mais o rendimento dos médicos da rede publica do Estado, já exorbitante para a realidade local. Em um mês, por exemplo, um médico que tirar 20 plantões recebe do  Estado R$ 30 mil, fora o salário.

A medida financeira beneficiou a classe médica que votou em peso no atual governador,  porém logo após a portaria da Sesa,  a Procuradoria do  Estado (Prog) resolveu impor limites em relação ao rendimento dos médicos. A  Prog determinou que a Sesa obedeça ao teto constitucional na remuneração dos profissionais de saúde a ela vinculados, incluindo o valor recebido a título de plantões médicos.

A determinação contrariou a classe médica e novamente sobrou para a população que agora enfrenta a falta de médicos plantonistas nos hospitais do Estado. “Tem vários furos na escala de plantões em virtude do teto que o Waldez colocou para os plantões. Ou seja, quando chega ao teto o médico não vai mais trabalhar” afirma um servidor do Hospital de Clínicas Alberto Lima (HCAL).

Tanto em relação a portaria da Sesa como em relação a determinação da Prog, o secretário de saúde e promotor de justiça licenciado Pedro Leite, se manteve em silêncio.  Escolha pessoal de Waldez Góes, o secretário não tem o apoio dos médicos que esperavam um profissional da área como titular da Sesa. Enquanto tinha Fernando Nascimento e Joel Brito como adjuntos Leite foi poupado de críticas pela classe.

Presidente do sindicato dos médicos até 2014, ferrenho crítico do governo passado e defensor do atual governo, Fernando Nascimento pediu exoneração alegando “motivo de ordem pessoal”.  Como os hospitais do Estado enfrentam falta de remédios,  médicos e leitos, alguns profissionais de saúde aguardam com expectativa  como vai se comportar ex-presidente do sindicato da categoria daqui para frente.

__
Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa Saída de secretários adjuntos revela conflitos na Sesa Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, maio 04, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD