Header AD

Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF

Procurador-geral do Estado Narson Galeno, que acusa ex-governador de desvios de recursos, foi conduzido pela PF na Operação "Mãos Limpas"



O procurador Narson Galeno, nomeado pelo governador Waldez Góes para o mais alto cargo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) foi conduzido de forma coercitiva pela Polícia Federal (PF) na “Operação Mãos Limpas”, conforme revelou o jornal Folha de São, em outubro de 2010. A PGE acusa o ex-governador Camilo Capiberibe de compactuar com supostos desvios de recursos da Amapá Previdência (Amprev), da Companhia Elétrica do Amapá e da Secretaria de Turismo (Setur) [ver aqui].

Na época da deflagração da "Mãos Limpas" foram conduzidos coercitivamente (quando alguém é levado pelos policiais para depor) toda a cúpula da Procuradoria Geral do governo Waldez/Pedro Paulo, entre eles Luciana Lima Marialves de Melo, Jimmy Negrão Maciel e Narson de Sá Galeno, hoje procurador geral do Estado.

Em matéria da Folha Online de 29/11/2010 sob o título "PF cumpre mandados na Procuradoria-Geral do Amapá", o jornal aponta que, de acordo com as investigações da PF, haveria suspeitas de que alguns procuradores – entre eles, Narson Galeno - estavam fazendo acordos extrajudiciais irregulares com empresas e indivíduos que tinham ações contra o Estado. Os mandados de condução coercitiva e de busca e apreensão foram expedidos pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A Procuradoria Geral do Estado do Amapá (PGE) ajuizou quatro ações públicas por improbidade administrativa contra o ex-governador Camilo Capiberibe, na última quarta-feira, 13. A PGE acusa Camilo, ex-secretários e outros gestores de sua equipe de governo de terem compactuado com supostos desmandos que teriam resultado num desfalque de mais de R$ 60 milhões cometidaos no processo de federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), na Secretaria Estadual de Turismo (Setur) e na Amprev.

Em resposta às denúncias apresentadas pela PGE [ver aqui], o ex-governador Camilo Capiberibe, em nota divulgada à imprensa, disse que o único objetivo dessas acusações é colocar uma “cortina de fumaça” para esconder a crise que vive hoje o Amapá em virtude da falta de gestão e credibilidade do atual governo, que estagnou a geração de emprego.

A Nota diz ainda que as acusações fazem parte de “uma estratégia política para esconder a paralisação de mais de 50 obras públicas na saúde, na educação e na infraestrutura, que estavam em pleno andamento até o final da gestão do ex-governador Camilo Capiberibe”.
__
Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, maio 14, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD