Header AD

Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF

Procurador-geral do Estado Narson Galeno, que acusa ex-governador de desvios de recursos, foi conduzido pela PF na Operação "Mãos Limpas"



O procurador Narson Galeno, nomeado pelo governador Waldez Góes para o mais alto cargo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) foi conduzido de forma coercitiva pela Polícia Federal (PF) na “Operação Mãos Limpas”, conforme revelou o jornal Folha de São, em outubro de 2010. A PGE acusa o ex-governador Camilo Capiberibe de compactuar com supostos desvios de recursos da Amapá Previdência (Amprev), da Companhia Elétrica do Amapá e da Secretaria de Turismo (Setur) [ver aqui].

Na época da deflagração da "Mãos Limpas" foram conduzidos coercitivamente (quando alguém é levado pelos policiais para depor) toda a cúpula da Procuradoria Geral do governo Waldez/Pedro Paulo, entre eles Luciana Lima Marialves de Melo, Jimmy Negrão Maciel e Narson de Sá Galeno, hoje procurador geral do Estado.

Em matéria da Folha Online de 29/11/2010 sob o título "PF cumpre mandados na Procuradoria-Geral do Amapá", o jornal aponta que, de acordo com as investigações da PF, haveria suspeitas de que alguns procuradores – entre eles, Narson Galeno - estavam fazendo acordos extrajudiciais irregulares com empresas e indivíduos que tinham ações contra o Estado. Os mandados de condução coercitiva e de busca e apreensão foram expedidos pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A Procuradoria Geral do Estado do Amapá (PGE) ajuizou quatro ações públicas por improbidade administrativa contra o ex-governador Camilo Capiberibe, na última quarta-feira, 13. A PGE acusa Camilo, ex-secretários e outros gestores de sua equipe de governo de terem compactuado com supostos desmandos que teriam resultado num desfalque de mais de R$ 60 milhões cometidaos no processo de federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), na Secretaria Estadual de Turismo (Setur) e na Amprev.

Em resposta às denúncias apresentadas pela PGE [ver aqui], o ex-governador Camilo Capiberibe, em nota divulgada à imprensa, disse que o único objetivo dessas acusações é colocar uma “cortina de fumaça” para esconder a crise que vive hoje o Amapá em virtude da falta de gestão e credibilidade do atual governo, que estagnou a geração de emprego.

A Nota diz ainda que as acusações fazem parte de “uma estratégia política para esconder a paralisação de mais de 50 obras públicas na saúde, na educação e na infraestrutura, que estavam em pleno andamento até o final da gestão do ex-governador Camilo Capiberibe”.
__
Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF Procurador que acusa ex-governador foi conduzido coercitivamente pela PF Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, maio 14, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD