Header AD

PGE acusa ex-governador de improbidade administrativa

A Procuradoria Geral do Estado do Amapá (PGE) ajuizou quatro ações públicas por improbidade administrativa contra o ex-governador Camilo Capiberibe.

Camilo diz que Waldez usa a PGE para atacá-lo politicamente
A Procuradoria Geral do Estado do Amapá (PGE) ajuizou quatro ações públicas por improbidade administrativa contra o ex-governador Camilo Capiberibe, na tarde desta quarta-feira, 13. Além de Camilo, a PGE acusa ex-secretários e outros gestores de sua equipe de governo de terem compactuado com supostos desmandos que resultaram num desfalque de mais de R$ 60 milhões.

Ainda segundo a Procuradoria, a maior das dívidas deixadas por Camilo chega ao montante de R$ 54.882.367,19, referente ao calote dado em mais de 45 instituições financeiras, que não receberam as parcelas de empréstimos consignados feitos pelos servidores estaduais de 2013 a dezembro de 2014.

O dinheiro teria sido descontado do servidor, mas não repassado aos credores, o que acabou fazendo com que diversos servidores tivessem seus nomes incluídos nos Órgãos de Proteção ao Crédito (Serasa, SPC, entre outros).

A PGE também ajuizou mais três ações que apontam para irregularidades cometidas no contrato de federalização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), na Secretaria Estadual de Turismo (Setur) e na Amprev.

O procurador, Narson Galeno, oficializou ao Ministério Público do Estado (MPE) sobre as denúncias, para tomar conhecimento das supostas provas reunidas.

O outro lado

Em resposta às denúncias apresentadas pela PGE, o ex-governador Camilo Capiberibe, em nota divulgada à imprensa, disse que o único objetivo dessas acusações é colocar uma “cortina de fumaça” para esconder a crise que vive hoje o Amapá em virtude da falta de gestão e credibilidade do atual governo, que estagnou a geração de emprego. A Nota diz ainda que as acusações fazem parte de “uma estratégia política para esconder a paralisação de mais de 50 obras públicas na saúde, na educação e na infraestrutura, que estavam em pleno andamento até o final da gestão do ex-governador Camilo Capiberibe”.

Veja.

Nota de esclarecimento

Em relação à coletiva de imprensa feita pela Procuradoria Geral do Estado (Prog), por meio de nota, a assessoria do ex-governador Camilo Capiberibe (PSB) esclarece:


– Trata-se de uma estratégia política para esconder a paralisação de mais de 50 obras públicas na saúde, na educação e na infraestrutura, que estavam em pleno andamento até o final da gestão do ex-governador Camilo Capiberibe;


– É importante lembrar que, durante os quatros anos da gestão do governador Camilo, nenhuma operação da Polícia Federal ocorreu nas repartições públicas estaduais e nenhum secretário do seu governo foi preso;


– O ex-governador Camilo pagou R$ 74 milhões em consignados às instituições bancárias, uma dívida herdada do governo Waldez/Pedro Paulo. Durante o governo do PSB, nenhum servidor foi negativado;


– O ex-governador, que está absolutamente tranquilo, vai aguardar a notificação formal para prestar todos os esclarecimentos necessários, sem fugir pela porta dos fundos como fez o governador Waldez Góes para não responder por seus atos;


– Por fim, é lamentável que o atual governador, que não prestou contas de mais de 120 dias de gestão, esteja utilizando a Procuradoria Geral para atacar adversários políticos.

___
PGE acusa ex-governador de improbidade administrativa PGE acusa ex-governador de improbidade administrativa Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, maio 14, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD