Header AD

Sistema de tratamento de água do Bailique é tema de recomendação do MPF

No documento, assinado em 13 de março, a instituição cobra reforma imediata em quatro estações de tratamento de água.


As estações de tratamento de água das Vilas Progresso, Macedônia, Itamatatuba e Carneiros, no Distrito do Bailique, devem ser imediatamente reformadas. A recomendação é do Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP). Além da reforma, a instituição também cobra esforço articulado da União, Estado e Município para que o sistema de abastecimento de água funcione de forma ininterrupta.

As orientações foram encaminhadas para Agência Nacional das Águas, responsável por fiscalizar o cumprimento das metas do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Água, o “Água para Todos”. O Programa, criado pelo Decreto nº 7.535/ 2011, tem objetivo de promover a universalização do acesso à água em áreas rurais para consumo humano e para a produção agrícola e alimentar.

Para o procurador regional do direitos do cidadão, Felipe Moura Palha, o tema deve ser tratado como prioridade pelo Poder Público. “A Organização das Nações Unidas reconheceu que água é direito essencial à vida humana, cujo acesso além de concretizar o princípio da dignidade humana é mecanismo de combate à pobreza”, ressalta.

A recomendação foi endereçada também ao Governo do Estado, Prefeitura de Macapá, Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura e Advocacia Geral da União. No documento, o MPF/AP pede que em 30 dias os órgãos responsáveis apresentem cronograma para substituir o sistema de abastecimento de água das quatro Vilas do Bailique de forma que aumente a capacidade atual em três vezes.

No dia da emissão das orientações, 13 de março, o procurador regional dos direitos do cidadão, Felipe Moura Palha, entregou o documento para a presidente da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Patrícia de Cássia da Silva Brito.

Falta d´água – O rio Amazonas e seus afluentes banham Macapá e o Bailique. Porém, a maioria das comunidades do distrito não tem acesso à água tratada. O sistema de abastecimento é precário e quando funciona não atende a todas as comunidades.

Hoje, para beber, cozinhar e usar no serviço doméstico, as famílias precisam “puxar” água do rio. Em seguida, utilizam sulfato de alumínio e hipoclorito para tratar a água. Os produtos são distribuídos pela Caesa. Profissionais de saúde da comunidade alertaram ao MPF que o tratamento inadequado da água é a causa de inúmeras doenças, principalmente em crianças e idosos.

ASSCOM/MPF
__
Sistema de tratamento de água do Bailique é tema de recomendação do MPF Sistema de tratamento de água do Bailique é tema de recomendação do MPF Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, março 30, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD