Header AD

No Maranhão escola Castello Branco vira Vinicius de Moraes

Depois de quase 50 anos de domínio de Sarney, Maranhão sob novo governo progressista altera nomes de escolas.

Governo do Maranhão retirou nomes de escolas que homenageavam ditadores | Montagem/Estadão Conteúdo.
As primeiras mudanças simbólicas acontecem no estado do Maranhão com a eleição do neocomunista Flávio Dino (PC do B). Amanhã se rememora os 51 anos do golpe de 1o de abril de 1964, que mergulhou o Brasil em mais de 20 anos de obscuridade, com diversos crimes contra a pessoa humana.

 "O relatório aponta graves infrações aos direitos humanos cometidos durante esse período e nomeia os responsáveis por esses crimes. O Estado do Maranhão não mais homenageará os responsáveis por crimes contra a humanidade", disse o governador Flávio Dino ao se referir ao relatório da Comissão Nacional da Verdade, publicado recentemente. O governador reitera que não é "razoável"que prédios públicos continuem a homenagear militares que cometeram violações aos direitos humanos.

Leia.

Governo do Maranhão 'rebatiza' escolas que levavam nomes ligados à ditadura militar

Conteúdo de 'O Estado de S. Paulo'

O golpe militar brasileiro completa 51 anos nesta terça-feira (31) e, no que depender do governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), esse momento e aqueles que fizeram parte daquele período serão esquecidos. Por uma determinação do governador, escolas estaduais que têm seus nomes em homenagens a militares e responsáveis por crimes de tortura durante o regime ditatorial vão obter uma nova nomenclatura.

A Secretaria de Estado da Educação identificou dez escolas em nove municípios maranhenses que possuíam nomes de ex-presidentes do Brasil que governaram o País sob o regime militar. A modificação será publicada no Diário Oficial de hoje.

Na capital, a escola estadual Marechal Castelo Branco passará a ser Unidade Jackson Lago (ex-governador do Estado). Em Imperatriz, o antigo Centro de Ensino Castelo Branco será chamado Centro de Ensino Vinícius de Moraes. Em Timbiras, a antiga escola que levava o nome do ex-presidente Emílio Garrastazu Médici passará a ser Centro de Ensino Paulo Freire - mesmo nome escolhido pela população de Loreto.

Dino destacou que, a partir do relatório da Comissão Nacional da Verdade, publicado no fim do ano passado, não é "razoável" que prédios públicos continuem a homenagear militares que cometeram violações aos direitos humanos. "O relatório aponta graves infrações aos direitos humanos cometidos durante esse período e nomeia os responsáveis por esses crimes. O Estado do Maranhão não mais homenageará os responsáveis por crimes contra a humanidade", disse.

O processo de mudança ocorreu com base no Decreto 30.618, de 2 de janeiro de 2015, que veda a atribuição de nome de pessoa viva a bem público, de qualquer natureza, pertencente ou sob gestão do Estado do Maranhão ou das pessoas jurídicas da administração estadual indireta.

No decreto, a vedação é estendida a nomes de pessoas, ainda que falecidas, que tenham constado no relatório da Comissão da Verdade - de que trata a Lei 12.528, de 18 de novembro de 2011 - como responsáveis por crimes cometidos na a ditadura militar.
__
No Maranhão escola Castello Branco vira Vinicius de Moraes No Maranhão escola Castello Branco vira Vinicius de Moraes Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, março 31, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD