Header AD

Resposta

Jardel Nunes, ex-secretário de Saúde, rebate as acusações do atual secretário, Pedro Leite, e diz que recorrerá à Justiça para esclarecer os fatos.



O ex secretário de saúde do estado, Jardel Nunes, contesta as acusações feitas pelo atual secretário da pasta, Pedro Leite, na entrevista dada para o "Jornal do Dia" em que afirma que “na Sesa roubava do motorista ao secretário”.


Leia a nota.

Nossos adversários apelam e perdem o limite do razoável, tenho dito que o ódio não constrói e o nosso maior desafio é aprender a conviver com os contrários. Eles apelam para o ódio, o xingamento e a política desqualificada.

Em dez meses fizemos o que foi necessário à frente da Secretaria de Estado da Saúde. Procurei avançar nas relações interpessoais, focado nos três atores principais do processo: servidores, fornecedores e prestadores de serviços e, principalmente, os usuários.

Apesar do pouco tempo que tivemos, ainda tive a infelicidade de chegar junto com a crise financeira de nosso país. O Governo Federal, no dia 20 de fevereiro de 2014, antes do encerramento do primeiro bimestre, editou o Decreto 8.197/14 com o corte na programação orçamentária e financeira na ordem de R$ 44 bilhões, ferindo diretamente a principal receita do Estado – o Fundo de Participação do Estado (FPE) – e, assim, o GEA teve uma frustração que totalizou, até novembro de 2014, em torno de R$ 216 milhões em relação ao esperado para o período (LOA). Consequentemente, atingiu diretamente as transferências ao Fundo Estadual de Saúde – FES.

De acordo com a fonte 300301 – Fundo Estadual de Saúde em 2014, sua previsão de receita do Tesouro estadual era de R$ 213.174.411,00 e até o dia 22/12/2014 tínhamos recebido R$ 117.316.645,28. Uma frustração de R$ 95.857.765,72 que não foi revertida até o final do exercício.
Mesmo assim, não deixamos de prestar os serviços à população com a participação de todos os colaboradores da Secretaria de Estado da Saúde, fornecedores e os prestadores de serviço que obtiveram êxito nos processos licitatórios.

Poderia entrar na discussão quanto às operações policiais realizada na SESA no período de 2004 a 2010, que, entre outros, foram presos vários secretários de Saúde do Estado e o senhor Pedro Leite foi secretário de Segurança do mesmo governo de agora.

Fica claro com a infeliz declaração do promotor ou secretário de Saúde que não vale a pena repetir em um jornal local, que tenta nivelar a todos como se estivessem em seu barco. Não posso aceitar e exijo que se retrate publicamente, principalmente com os nossos briosos servidores da Secretaria de Estado da Saúde, que, mesmo com as dificuldades e intempéries da vida, procuram cumprir com suas obrigações.

No meu caso, procurarei o melhor meio para esclarecer a sociedade a quem temos a obrigação de manter informada quanto a nossas atitudes no exercício do cargo público que é a Justiça.

Adianto que exerci vários cargos de primeiro escalão no meu Estado, quando comandado pelo Partido Socialista Brasileiro – PSB, desde 1989, onde fui Chefe de Gabinete do Prefeito de Macapá e assumi várias secretarias no Governo do Estado até a última no ano de 2014 e administrei grandes orçamentos públicos e não sou um cidadão de posses. Tenho uma vida dentro da realidade de meus ganhos, a consciência tranquila do meu dever cumprido com as missões que me foram determinadas.
__
Resposta Resposta Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on terça-feira, fevereiro 10, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD