Header AD

Contradição

Governo: redução de custos para o Estado com residência oficial será de 70%

Governo
Governador Waldez Góes decide, por decreto, permanecer no imóvel familiar ao invés de mudar para a residência oficial, situada no final da Avenida Fab. Com isso o Governo do Estado (GEA) diz que a economia será de 70% para os cofres públicos em relação aos gastos com manutenção da residência e que 106 militares que prestavam serviço na residência oficial voltaram ao policiamento ostensivo e somente 12 se revezam em turnos nas duas casas.

De acordo com o procurador do Estado do Amapá, André Lobato, como a residência particular de Waldez é menor que a oficial, haverá uma redução significativa do número de funcionários, que passarão de 23, para 12.

O site do Governo do Estado informa que a “residência oficial será utilizada para encontros com autoridades nacionais e internacionais, reuniões institucionais fechadas, entre outros eventos. Por isto, para mantê-la em bom estado, alguns servidores continuarão prestando serviços no local”.

O portal informa ainda que as despesas com pessoal e material de manutenção das duas casas serão inferiores se comparadas aos gastos da gestão anterior. “Camilo Capiberibe tinha um gasto de até R$ 109 mil (mensal) com despesas entre servidores terceirizados – cozinheiros, garçons, jardineiros, diaristas, entre outros – contas de energia, água, telefone e supermercado.”, diz o site governamental.

Contradição

Enquanto o site declara economizar R$109 mil na manutenção das duas casas, o governo pretende aumentar o numero de cargos no gabinete civil de 8 para 12, com aumento dos salários de R$8mil para mais de R$12mil para os CDS-4 lotados no palácio do Setentrião. Para isso o governador encaminhou à Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) um projeto de lei que detalha essas mudanças, podendo ser aprovado na próxima semana.

Além disso, na última quinzena, o governador Waldez Góes(PDT) sancionou uma lei aumentando todos os salários do primeiro escalão, aumentou inclusive o seu próprio salário, passando de R$ 24 mil para R$ 30.471,00 e de seu vice, Papaléo Paes(PP),  que passou de R$ 16 mil para mais de R$ 28,300 mil; enquanto o salário dos secretários de estado e adjuntos aumentou de R$ 8.982,00 para R$ 14.900,00, além do reajuste concedido aos diretores das autarquias estaduais.

Enquanto diz economizar R$109 mil mensais com a manutenção de duas casas, o governo vai ter um acréscimo de mais de R$ 122 mil por ano só com o salário do vice, Papaléo Paes (PP). Além do impacto de cerca de R$5 milhões anuais na folha de pagamento do Estado com o aumento salarial do primeiro escalão governamental.

(Com informações da Agência Amapá de Notícias)
__
Contradição Contradição Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, fevereiro 05, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD