Header AD

Contradição

Governo: redução de custos para o Estado com residência oficial será de 70%

Governo
Governador Waldez Góes decide, por decreto, permanecer no imóvel familiar ao invés de mudar para a residência oficial, situada no final da Avenida Fab. Com isso o Governo do Estado (GEA) diz que a economia será de 70% para os cofres públicos em relação aos gastos com manutenção da residência e que 106 militares que prestavam serviço na residência oficial voltaram ao policiamento ostensivo e somente 12 se revezam em turnos nas duas casas.

De acordo com o procurador do Estado do Amapá, André Lobato, como a residência particular de Waldez é menor que a oficial, haverá uma redução significativa do número de funcionários, que passarão de 23, para 12.

O site do Governo do Estado informa que a “residência oficial será utilizada para encontros com autoridades nacionais e internacionais, reuniões institucionais fechadas, entre outros eventos. Por isto, para mantê-la em bom estado, alguns servidores continuarão prestando serviços no local”.

O portal informa ainda que as despesas com pessoal e material de manutenção das duas casas serão inferiores se comparadas aos gastos da gestão anterior. “Camilo Capiberibe tinha um gasto de até R$ 109 mil (mensal) com despesas entre servidores terceirizados – cozinheiros, garçons, jardineiros, diaristas, entre outros – contas de energia, água, telefone e supermercado.”, diz o site governamental.

Contradição

Enquanto o site declara economizar R$109 mil na manutenção das duas casas, o governo pretende aumentar o numero de cargos no gabinete civil de 8 para 12, com aumento dos salários de R$8mil para mais de R$12mil para os CDS-4 lotados no palácio do Setentrião. Para isso o governador encaminhou à Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) um projeto de lei que detalha essas mudanças, podendo ser aprovado na próxima semana.

Além disso, na última quinzena, o governador Waldez Góes(PDT) sancionou uma lei aumentando todos os salários do primeiro escalão, aumentou inclusive o seu próprio salário, passando de R$ 24 mil para R$ 30.471,00 e de seu vice, Papaléo Paes(PP),  que passou de R$ 16 mil para mais de R$ 28,300 mil; enquanto o salário dos secretários de estado e adjuntos aumentou de R$ 8.982,00 para R$ 14.900,00, além do reajuste concedido aos diretores das autarquias estaduais.

Enquanto diz economizar R$109 mil mensais com a manutenção de duas casas, o governo vai ter um acréscimo de mais de R$ 122 mil por ano só com o salário do vice, Papaléo Paes (PP). Além do impacto de cerca de R$5 milhões anuais na folha de pagamento do Estado com o aumento salarial do primeiro escalão governamental.

(Com informações da Agência Amapá de Notícias)
__
Contradição Contradição Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on quinta-feira, fevereiro 05, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD