Header AD

Os 30 anos da "Nova República"

Sarney empurrou a “Nova República” para a lata do lixo, diz colunista do jornal paulista Folha de S. Paulo

Sarney/Tancredo
Neste ano de 2015 o país estará comemorando os 30 anos da Nova República, diante desta data o colunista Bernardo Melo Franco do jornal Folha de S. Paulo discorre sobre o tema em artigo publicado na edição de ontem, domingo (18).

Segundo Melo, o lema “Nova República” foi criado por Tancredo Neves quando afirmou: “teremos que lançar os alicerces da Nova República”.O mineiro ganhou a disputa, mas o slogan, que deveria acompanhar o novo período democrático, acabou condenado ao esquecimento.

Bernardo afirma ainda que “na prática, a Nova República morreu com Tancredo. Sarney prometeu conduzi-la ao futuro, mas o desastre econômico de seu governo empurrou o slogan para a lata de lixo da história”.

Veja a íntegra do artigo..

“Nova República, 30″

O mote foi cunhado por Tancredo Neves em Vitória, no feriado de 15 de Novembro de 1984. A dois meses do que seria a última eleição indireta para a Presidência, ele proclamou: “Teremos que lançar os alicerces da Nova República”. O mineiro ganhou a disputa, mas o slogan, que deveria acompanhar o novo período democrático, acabou condenado ao esquecimento.

A expressão Nova República sintetizava em duas palavras o desejo geral por mudanças. Era chegada a hora de modernizar o país, restaurar as liberdades, varrer o entulho de duas décadas de ditadura militar. O lema uniu opositores e dissidentes do regime, na aliança que permitiu a vitória sobre Paulo Maluf no Colégio Eleitoral.

No mundo real, nem tudo era novo. Tancredo, um conciliador, negociava a convivência pacífica com os chefes da repressão. Seu palanque estava cheio de defensores da velha ordem, do vice José Sarney aos ministeriáveis Antonio Carlos Magalhães, Jorge Bornhausen e Marco Maciel.

“A eleição de Tancredo foi um acordão entre militares e civis”, resume a cientista política Maria Celina D’Araújo, da PUC-Rio. “O Brasil tem a tradição de anunciar o novo quando, na verdade, faz grandes acordos de continuidade. Também foi assim em 1930, quando passaram a chamar o período anterior de República Velha, e em 1937, na criação do Estado Novo”.

Apesar das companhias, a figura de Tancredo inspirava confiança. Eleito em 15 de janeiro de 1985, ele anunciou: “Chegamos agora ao limiar da Nova República”. A escolha fez 30 anos na última quinta, mas o lema foi pouco lembrado.

Na prática, a Nova República morreu com Tancredo. Sarney prometeu conduzi-la ao futuro, mas o desastre econômico de seu governo empurrou o slogan para a lata de lixo da história. Quando Collor se elegeu, ninguém mais queria ouvir falar nisso. Falta outro nome para descrever o que vivemos depois dele, com Itamar, FHC, Lula e Dilma.
__
Os 30 anos da "Nova República" Os 30 anos da "Nova República" Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, janeiro 19, 2015 Rating: 5

SE VOCÊ TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é um site de jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para doar ou assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD