Header AD

Os 30 anos da "Nova República"

Sarney empurrou a “Nova República” para a lata do lixo, diz colunista do jornal paulista Folha de S. Paulo

Sarney/Tancredo
Neste ano de 2015 o país estará comemorando os 30 anos da Nova República, diante desta data o colunista Bernardo Melo Franco do jornal Folha de S. Paulo discorre sobre o tema em artigo publicado na edição de ontem, domingo (18).

Segundo Melo, o lema “Nova República” foi criado por Tancredo Neves quando afirmou: “teremos que lançar os alicerces da Nova República”.O mineiro ganhou a disputa, mas o slogan, que deveria acompanhar o novo período democrático, acabou condenado ao esquecimento.

Bernardo afirma ainda que “na prática, a Nova República morreu com Tancredo. Sarney prometeu conduzi-la ao futuro, mas o desastre econômico de seu governo empurrou o slogan para a lata de lixo da história”.

Veja a íntegra do artigo..

“Nova República, 30″

O mote foi cunhado por Tancredo Neves em Vitória, no feriado de 15 de Novembro de 1984. A dois meses do que seria a última eleição indireta para a Presidência, ele proclamou: “Teremos que lançar os alicerces da Nova República”. O mineiro ganhou a disputa, mas o slogan, que deveria acompanhar o novo período democrático, acabou condenado ao esquecimento.

A expressão Nova República sintetizava em duas palavras o desejo geral por mudanças. Era chegada a hora de modernizar o país, restaurar as liberdades, varrer o entulho de duas décadas de ditadura militar. O lema uniu opositores e dissidentes do regime, na aliança que permitiu a vitória sobre Paulo Maluf no Colégio Eleitoral.

No mundo real, nem tudo era novo. Tancredo, um conciliador, negociava a convivência pacífica com os chefes da repressão. Seu palanque estava cheio de defensores da velha ordem, do vice José Sarney aos ministeriáveis Antonio Carlos Magalhães, Jorge Bornhausen e Marco Maciel.

“A eleição de Tancredo foi um acordão entre militares e civis”, resume a cientista política Maria Celina D’Araújo, da PUC-Rio. “O Brasil tem a tradição de anunciar o novo quando, na verdade, faz grandes acordos de continuidade. Também foi assim em 1930, quando passaram a chamar o período anterior de República Velha, e em 1937, na criação do Estado Novo”.

Apesar das companhias, a figura de Tancredo inspirava confiança. Eleito em 15 de janeiro de 1985, ele anunciou: “Chegamos agora ao limiar da Nova República”. A escolha fez 30 anos na última quinta, mas o lema foi pouco lembrado.

Na prática, a Nova República morreu com Tancredo. Sarney prometeu conduzi-la ao futuro, mas o desastre econômico de seu governo empurrou o slogan para a lata de lixo da história. Quando Collor se elegeu, ninguém mais queria ouvir falar nisso. Falta outro nome para descrever o que vivemos depois dele, com Itamar, FHC, Lula e Dilma.
__
Os 30 anos da "Nova República" Os 30 anos da "Nova República" Reviewed by Nezimar Borges/ Ana Maria Marat on segunda-feira, janeiro 19, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário




SE O LEITOR TEM ALGUMA NOTÍCIA PARA COMPARTILHAR, ENVIE PARA O WHATSAPP (96)98135-3197.


O Diário do Meio do Mundo é espaço dedicado ao jornalismo independente. Contribua para mantê-lo online. Obrigado! Se não tem conta no PayPal, não é necessidade se inscrever para doar ou assinar, basta apenas usar o cartão de crédito ou de débito. Para quem prefere fazer depósito em conta: Banco do Brasil; Agência: 2825-8; CC: 219.880-0.


Post AD